Quer ganhar um e-book GRÁTIS?


Assine a nossa lista, e receba grátis o e-book

"Como montar o seu Plano de Investimentos"!

 

Investimentos

Vale a pena resgatar do PGBL e aplicar no Tesouro Direto?

O leitor Pedro Cavalcante faz uma pergunta muito interessante, e que pode ser a dúvida de muitos outros:

Tenho planos de previdencia privada PGBL em tabela regressiva que ja chegaram a taxação de 10%. Devo sacar tudo de uma vez para aplicar em investimentos mais rentáveis?

É público e notório que os PGBLs são mais caros que outras alternativas de investimento. Este custo maior é, algumas vezes, compensado pelas vantagens fiscais do produto. Mas o caso do Pedro é diferente: ele já está em um PGBL maduro, com alíquota de 10% no regime regressivo, e pergunta se vale a pena migrar para um investimento mais rentável.

A resposta, como sempre, é: depende. Quanto mais rentável precisa ser o outro investimento para compensar o imposto menor do PGBL?

Vejamos um exemplo: digamos que você tenha R$ 100 no PGBL, e vai ficar aplicado por mais um ano, a uma taxa de 10% ao ano, bruto de imposto. Se você continuar no PGBL, vai ter R$ 110 daqui a um ano, e, ao resgatar, ficará com 90% disso, ou R$ 99.

Já no Tesouro Direto, você aplica R$ 90 hoje, e vai ter, antes da cobrança do IR, R$ 99. Portanto, o mesmo montante do PGBL. Só que você precisa ainda pagar o IR sobre o rendimento, na alíquota de 20% (você ficou um ano aplicado). Portanto, seu saldo líquido será de R$ 97,20. Uma diferença de 1,85% em um ano.

Assim, a sua aplicação no Tesouro Direto deve render 1,85% a mais ao ano, só para compensar o imposto adicional que você paga nesta aplicação. Esta conta melhora em favor do Tesouro Direto se você ficar aplicado por dois anos, pois a alíquota cai para 15%, mas mesmo assim a diferença não é pequena (neste caso, cai para 1,38%).

Isto acontece porque o imposto do PGBL você paga de qualquer maneira, ficando ou indo embora, mas o imposto do Tesouro Direto você paga somente se decidir fazer a migração. Assim, fazendo a migração, você paga imposto duas vezes: no PGBL e no Tesouro Direto. Assim, só vale a pena fazer a migração se a rentabilidade da outra aplicação for suficientemente superior para compensar esta diferença.

E se isso é verdade para alíquota de 10%, é mais verdade ainda para alíquotas superiores. Pois, além de valer o que foi descrito acima, quanto mais tempo o investidor fica no PGBL, menor a alíquota que terá ao longo do tempo.

Assim, se você acabou de investir no PGBL, migrar para outra aplicação significa pagar 35% de IR, e depois pagar adicionalmente o IR do Tesouro Direto. Se você esperar 2 anos, a alíquota do PGBL cai para 30%. Portanto, você ganhou 5% de rendimento adicional nestes dois anos, o que deveria ser compensado pela rentabilidade superior do Tesouro Direto neste período, além do IR sobre os rendimentos do Tesouro Direto já vistos acima.

Então, a conclusão é clara: uma vez que você já está investido no PGBL, o Tesouro Direto somente será melhor se render o suficiente para compensar o ganho fiscal do PGBL.

Você quer uma planilha que vai ajudar você a tomar essa decisão? Se você já é assinante da lista do Professor Money, basta clicar no botão abaixo. Senão, deixe seu e-mail a seguir, e faça o download da planilha totalmente GRÁTIS!

Crédito do Thumbnail: Free Digital Photos by renjith krishnan

Gostou deste artigo? Compartilhe!

Receba atualizações do site em seu e-mail!

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

120 Comentários

  1. Marcos Ivan Braga disse:

    Tenho um PGBL, tábua biomética AT-83M, IGPG + 6%a.a., já com alíquota de I.R. em 10%, que em 2019 inicia o pagamento de benefício vitalício. Tenho 48 anos. Não sei se exerço o direito de receber os benefícios ou saco o valor total. Já pensei em fazer um grande aporte nesse plano, e essa é na realidade a minha maior dúvida, pois não sei se compensa. Pode me ajudar?

    • Professor Money disse:

      Prezado Marcos, precisa verificar com a seguradora quais são as condições deste novo aporte, ou seja, se entrará no “bolo” todo, ou se terá tratamento à parte. Como se trata de benefício vitalício, não dá para fazer uma análise do ponto de vista de investimento, pois só vamos saber se valeu ou não a pena quando você vier a falecer. Se você viver 100 anos, com certeza terá valido a pena, se você vier a falecer com, digamos, 55 anos, não terá valido a pena. O benefício vitalício é mais uma aposta de quanto tempo você vai viver do que uma análise de investimento.

  2. Alexandre disse:

    Resgatei meu PGBL, paguei 15 % de ir retido na fonte. Minha renda salarial é também tributada. Pergunta, terei que complementar imposto sobre o
    PGBL resgatado?

    • Professor Money disse:

      Prezado Alexandre, se o seu PGBL for no regime progressivo, sim. Neste caso, pode ser até que você tenha direito a reembolso, se a sua alíquota for menor que 15%. Se for regime regressivo, este imposto é definitivo, e não há acerto adicional na declaração do IR.

  3. José disse:

    Boa noite! Tenho uma dúvida : Preciso pagar o valor de R$ 300 mil no saldo de um apartamento que comprei à vista.
    Tenho um PGBL progressivo de 700 mil
    Um Tesouro selic com 150 mil à 1 mês e
    Uma LCA de 150 mil com 89 % do CDI com vencimento em 06 /17 também à 1 mês.
    De qual investimento devo resgatar para pagar os 300 mil?

    No aguardo. Obrigado! José Francisco

    • drmoney disse:

      Prezado José, o resgate antecipado do LCA deve ter alguma penalidade, então vamos descarta-lo. Entre o Tesouro Selic e o PGBL, precisaria saber a sua alíquota de IR na sua declaração PF, que é a alíquota que incidirá sobre o PGBL. Só assim dá para comparar com o Tesouro, que vai pagar 22,5% de IR. Além disso, precisaria saber a taxa de administração do PGBL e sua política de investimentos para fazer uma comparação adequada.

  4. Roberto disse:

    Prezado Dr. Money, boa tarde.
    Gostaria de receber seus valiosos comentarios e sugestoes sobre o seguinte.
    Tenho um PGBL PROGRESSIVO com mais de 15 anos com TA 0,5% sem taxa de carregamento ou saida aplicado em carteira de RF que rendeu entre 14% a 15% em 2016, atualmente o valor total deste PGBL esta cerca de 2 milhoes.
    Como estou aposentado com 65 anos e tenho uma renda de alugueis e INSS de cerca de 7 mil por mes, estou considerando as seguintes possibilidades com relacao ao PGBL. (Dividir em 3 partes 600 +700+700 mil)
    1- Manter no PGBL PROGRESSIVO (atual) cerca de 600 mil e iniciar uma retirada mensal de cerca de 3 mil. O que me daria uma renda total anual de cerca de 120 mil.(alugueis+INSS+ PGBL)
    2- Resgatar cerca de 700 mil do PGBL e aplicar em Tesouro Direto, LCA/LCI ou CDs (com mais de 100% CDI) e manter por 10 a 15 anos, usando corretoras que nao cobram taxas.
    3- Resgatar cerca de 700 mil e aplicar no mesmo PGBL porem REGRESSIVO com TA 0,5% sem Tx carregamento/saida em carteira RF e manter por mais de 10 anos para ter o IR de 10%.
    O que acha ou aconselha ? outras possibilidades na sua opiniao?

    • drmoney disse:

      Prezado Roberto, isto funciona se você faz a declaração do IR no modelo simplificado. Se for no modelo completo, o resgate do PGBL fará com que a alíquota do IR aumente de maneira relevante na alternativa 2. Por exemplo, a alíquota efetiva do IR sobre 7 mil/mês (sem considerar descontos) seria de aproximadamente 15%. Se você resgatar 700 mil, vai pagar uma alíquota efetiva de aproximadamente 26%. E lembre-se, esta alíquota incide sobre o total do resgate, não somente sobre os rendimentos. Depois dessa tungada, ainda vai pagar IR sobre os investimentos que você escolher. A alternativa 3 é diferente: você não precisa resgatar, basta fazer a portabilidade para um outro plano de regime regressivo. Neste caso, não existe IR sobre esta portabilidade, mas lembre-se: esta opção é irretratável. Esta opção pode ser interessante, dado que, com o resgate mensal de R$3 mil, a alíquota efetiva de IR vai a 19%. Você estaria trocando esta alíquota por uma de 10% daqui a 10 anos.
      PS: a alíquota efetiva de IR pode ser calculada no seguinte site da Receita: http://www.receita.fazenda.gov.br/Aplicacoes/ATRJO/Simulador/simulador.asp?tipoSimulador=A

  5. Agostinho disse:

    Tenho um PGBL regressivo, aberto em 2005 e finalizado os depositos em 2010. Verifiquei junto a ICATU a forma de resgate e passaram para mim a imformacao de que esse resgate devera ser feito no prazo MINIMO de 15 anos. Ai vem a minha pergunta:

    -como tenho 62 anos, aposentado, diabetico, gostaria de saber se tem como eu efetuar um resgate maior ou mesmo total desse PGBL ?

  6. Mauro disse:

    Dr Money, Bom dia.Seu blog e excelente, parabens
    Estou adicionando algumas correcoes sobre minha pergunta

    Tenho um PGBL PROGRESSIVO a bem mais de 20 anos atravez de um fundo de pensao fechado da empresa que trabalhei. Hoje sou aposentado (67 anos) recebo um valor mensal desse fundo, porem infelizmente a empresa que trabalhei esta fechando esse fundo de pensao privado e propondo aos participantes as possibilidades:

    1- Transferencia para uma seguradora selecionada com condicoes especiais para renda vitalicia baseada no montante total aplicado, + tabua de mortalidade AT-2000 e + taxa de juros de 4% aa (nao havera repasse do excedente financeiro). Isso dara um rendimento vitalicio, podendo ou nao ser transferido ao dependente (esposa 54 anos atualmente). Esse montante mensal vitalicio sera corrigido anualmente pelo IPCA.

    2- Outras modalidades de renda extensivel ou nao ao dependente.

    3- Continuar com o PGBL em uma seguradora selecionada em condicoes especiais sem taxas de carregamento ou saida e taxa de administracao de 0,5 a 1,00% aa dependendo do fundo de investimento.

    4- Resgate do total e aplicar em outros investimentos, TD, LCA, LCI, Fundos, etc

    5- Uma combinacao das opcoes acima.
    .

    Estou pensando em fazer a seguinte combinacao usando essa seguradora proposta em condicoes especiais (sem tx de carregamento/saida e tx adm 0,5%)

    a- Manter 1/3 aplicado no PGBL Progressivo como esta atualmente e retirar valores ate R$3 mil mensal para completar minha renda.

    b- Colocar 1/3 em um PGBL REGRESSIVO para iniciar o saque
    mensal apos 10 anos.

    c- Retirar 1/3 e colocar em aplicacoes tipo TD, LCI, LCA, Fundos, CDs. etc

    d- ou uma combinacao dessas em porcentagens diferentes

    Gostaria da gentiza de seus comentarios e sugestoes

    Saudacoes e Feliz 2017 com muita saude e realizacoes
    Seu blog e sensacional

    Mauro

  7. Luciano C disse:

    Prezado drmoney, bom dia!
    Gostaria de sua ajuda para entender algumas coisas.
    Primeiro, deixe explicar um pouco minha situação. Tenho 43 anos e contribuo no PGBL da minha empresa, principalmente porque existe participação dela em cima de cada valor que invisto. Além disso, tenho 2 PGBL’s fora (um meu e um de minha filha), para tentar sempre chegar a 12% dos meus rendimentos brutos e maximizar o benefício fiscal.
    1) Lendo seu material e suas respostas, entendi que na verdade esse “beneficio” que tenho agora, vai ser cobrado lá na frente pois o IR incidirá em cima de todo o montante investido mais o rendimento, Porém, caso eu não faça isso hoje, pagaria digamos 27,5%, e quando aplico no PGBL e deixo 10 anos na regressiva, pagaria apenas 10% no montante, é isso? Exemplificando, se minha renda bruta for R$ 100.000,00, e eu aplique no PGBL R$ 12,000,00, vou pagar em 10 anos IR de 10% sobre o total dos R$ 12.000,00 + rendimentos. Minha base de cálculo do IR seria 27.5% em cima de R$ 88.000,00. E caso eu não aplique nada no PGBL, minha base de cálculo seria 27.5% em cima dos R$ 100.000,00 mesmo. Como esse plano tem tx de adm baixa, sem carregamento e participação da empresae bom rendimento, se minhas premissas acima estão certas entendo que vale a pena permanecer no plano, sempre com visão dos 10 anos. Estou correto?

    2) No caso do PGBL de minha filha e o meu que tenho em paralelo (a ideia era que o total aplicado nesses e no da empresa girassem em torno dos 12%), uma boa parte já completou os 10 anos e penso se seria melhor deixar lá mesmo ou migrar para o Tesouro direto. Entendo que o imposto no Tesouro direto seria de 15% e no PGBL 10%, então precisaria procurar um título que rendesse mais e ainda cubrisse esses 5%. É isso?

    3) e para finalizar, pensei em parar com essas contribuições espalhadas, centralizar tudo no PGBL da empresa (12% dos meus rendimentos brutos), pegar os PGBLs atuais e mudá-los para planos com rendimentos melhores (não estou satisfeitos com os atuais) e não fazer aportes adicionais (e deixar todos matutarem os 10 anos) e qq investimento “extra” passar a ser feito, aí sim no TD. O que acha?

    Um grande abraço, aproveitando para agradecer por todo o conhecimento que divide conosco em seu site, e desejando um ano de 2017 com muita saúde e paz.
    Luciano C

    • drmoney disse:

      Prezado Luciano,
      1) Sim, é este o raciocínio. Preste atenção, apenas, que a sua alíquota de IR é menor do que 27,5%, dado que existem os abatimentos e a parcela a deduzir.
      2) Sim, é isso. O post esclarece este ponto.
      3) Pode ser uma boa ideia, facilita o gerenciamento. Qualquer montante adicional aos 12% de sua renda bruta NÃO DEVE ser aplicado em PGBL. Procure qualquer outra aplicação, como o Tesouro Direto.

  8. Cid disse:

    Tenho um plano pgbl que posso resgatar pagando 15% IRPF.
    Como sou aposentado e tenho renda depois vou pagar novamente
    imposto sobre o valor resgatado.?

    • drmoney disse:

      Prezado Cid, se o seu PGBL for progressivo, você vai pagar 15% de IR no resgate, e depois a diferença (a maior ou menor) será acertada na sua declaração anual no formulário completo. Se for regressivo, você vai pagar o IR no resgate proporcional ao tempo de permanência no PGBL, e nada mais depois.

  9. Sandra Souza disse:

    Tenho um PGBL JR com a tributação Progressiva Compensável que fiz em 2002, para meu filho menor que hoje está com 24 anos. Faço a declaração de imposto de renda pelo modelo completo. Fiz no nome do meu filho, eu sendo o responsável financeiro. Quero saber se compensa eu sacar o valor e fazer uma aplicação em LCI? Tenho que declarar este valor na minha declaração de imposto de renda ou fazer uma declaração no nome do meu filho?
    Ele esta fazendo estágio com uma remuneração mensal de R$ 900,00.
    Desde já agradeço a atenção.

    • drmoney disse:

      Prezada Sandra, seria importante saber a taxa de administração deste PGBL para comparar com o retorno da LCI. De maneira geral, resgatar do PGBL significa pagar IR sobre o montante resgatado, e depois continuar pagando IR sobre outras aplicações. Por isso, como explico no post, recomendo continuar com o PGBL, e resgatar apenas para consumo. De qualquer maneira, esta recomendação só é válida se a taxa de administração do PGBL não for muito alta, senão pode valer a pena a migração mesmo pagando o IR.

  10. Mauro disse:

    Dr Money, Bom dia.Seu blog e excelente, parabens
    Tenho um PGBL regressivo a bem mais de 10 anos atravez de um fundo de pensao fechado da empresa que trabalhei. Hoje sou aposentado (67 anos) recebo um valor mensal desse fundo, porem infelizmente a empresa que trabalhei esta fechando esse fundo de pensao privado e propondo aos participantes as possibilidades:
    1- transferencia para uma seguradora selecionada com condices especiais para renda vitalicia baseada no montante total aplicada tabua de mortalidade AT-2000 taxa de juros de 4% aa. Corrigido anualmente pelo IPCA
    2- Continuar com o PGBL em uma seguradora selecionada sem taxas de carregamento ou saida e taxa de administracao de 0,5 a 1,00% aa dependendo do fundo de investimento.
    3- Resgate do total
    Gostaria de ter seus comentarios

    • drmoney disse:

      Prezado Mauro, para te responder de maneira mais precisa, eu precisaria saber qual a renda que você receberá na alternativa 1. De posse dessa informação, faríamos simulações com a alternativa 2, recebendo a mesma renda, e verificando quanto tempo o dinheiro duraria. De posse dessa informação, você avaliaria se este tempo é suficiente (por exemplo, 30 anos) ou não. Se não fosse suficiente, optaria pela alternativa 1, se fosse, optaria pela alternativa 2. A alternativa 3 é a pior, pois você paga o imposto sobre o resgate, e depois você vai pagar novamente imposto em qualquer outra aplicação que você faça.

  11. Leo disse:

    Prezado Dr. Money,
    Gostaria de sua análise sobre a seguinte situação:
    Tive em 2016 desconto de IR na fonte de aprox. 100 mil reais.
    12% de minha renda bruta em 2016 é aprox. 70 mil reais.
    Tenho 70 mil reais disponíveis para investir nesse momento.
    Pensando em opções conservadoras, e num cenário de longo prazo:
    PGBL regressivo seria a melhor opção de investimento para mim nesse momento?
    Em que circunstancias?
    Que outras opções você me sugere explorar?
    PS: Eu gosto do PGBL, porque sempre que usei esta modalidade de investimento, eu consegui substanciais restituições de IR. E quando deixei de fazê-lo, ainda tive a desagradável surpresa de ter imposto a pagar (mesmo tendo como dedução a pensão alimentícia que pago).
    Agradeço antecipadamente as suas considerações.

    • drmoney disse:

      Prezado Leo, se você pretende ficar mais de 10 anos no seu investimento, o PGBL regressivo pode ser uma boa alternativa. Pesquise para encontrar um fundo com baixa taxa de administração e carregamento, principalmente fora dos grandes bancos. Em corretoras como XP, Guide e Rico você pode encontrar boas opções.

  12. Guilherme José Bloomfield Gama disse:

    Boa noite!
    Resgatei de um plano PGBL, tabela regressiva, R$ 20.000,00.
    Paguei na fonte 15% de Imposto de renda. (8 anos e pouco)

    Ao declarar no imposto de renda anual seguinte, posso somar o total bruto recebido deste PGBL, a minha renda bruta tributável e incidir sobre esse total a alíquota de 12% para aplicação em um outro PGBL, tabela progressiva?

    Grato

  13. Peter disse:

    Tenho um PGBL Jr Regressivo desde 2010 que fiz para o meu filho o qual usava para abater no IR. A alguns anos atrás devido a um PGBL novo que fiz com a empresa onde trabalho, parei de usar o PGBL Jr para abater no I.R. e não tenho desde então feito aportes adicionais. Apesar de ter suspendido os aportes o montante continua rendendo. O que devo fazer ? Aguardar os 10 anos para reduzir a tributação e depois sacar ou sacar agora e aplicar em como aporte em um VGBL Jr que tenho também para o meu filho ?

    • drmoney disse:

      Prezado Peter, não vale a pena resgatar do PGBL antes de completar 10 anos, para se aproveitar da menor alíquota de IR. Mesmo depois de completados 10 anos, a alíquota continuará sendo de 10%, muito menor que qualquer outro investimento. Portanto, o resgate deveria ser somente para consumo.

  14. Thiago disse:

    Boa tarde , o gerente do meu banco me ligou e falou que eu tava com um valor considerável na conta poupança ai me falou pra eu aplicar no PGBL que seria mais vantajoso porque rende 0,92% ao mês por no mínimo 6 meses sem mexer no dinheiro .A poupança rende em média de 0,6 % ao mês, so que eu tava lendo o seu blog (as dúvidas ),e vi que ao resgatar o dinheiro eu tenho que pagar imposto sobre ele . O meu investimento seria de $33.000 por quanto tempo eu teria que deixar no PGBL para compensar mais que a poupança?

    • drmoney disse:

      Prezado Thiago, o investimento no PGBL só vale a pena se você usar esta aplicação para deduzir da base do seu IR, no formulário completo. Se você não faz a declaração no formulário completo, ou se R$ 33 mil representar mais do que 12% da sua renda bruta anual, então procure outro tipo de investimento. Além disso, se você optar pelo regime regressivo, tenha em mente que precisa ficar mais de 10 anos aplicado para que valha a pena.

  15. Sue Faria disse:

    Dr. Money pelo que li aqui, os gerentes de bancos omitem ou camuflam informaçoes sobre o IR, em especial do PGB que desconta sobre todo investimento. Estou aqui a considerar que isto é abusivo para o consumior. Pode explicar porque esse plano tem o desconto sobre o montante aplicado, por gentileza? Vale a pena utilizar a aplicação no ano do ecercicio na declaração anual? Obrigada pela atenção.

    • drmoney disse:

      Prezada Sue, a aplicação em PGBL permite que você deduza o montante investido de sua base de cálculo do IR. Assim, você deixa de pagar IR sobre o montante investido, para pagar lá na frente, quando resgatar o PGBL. Por isso, o IR incide sobre todo o montante resgatado do PGBL, e não somente sobre o rendimento, como acontece com outras aplicações. Para que o investimento em PGBL valha a pena, você precisa usar o benefício fiscal na sua declaração de IR. Caso contrário, você estará perdendo dinheiro.

  16. rui disse:

    Parabéns pelo blog. Como podemos observar pelos comentários a desinformação é geral. Gerentes, quase sempre são mal informados.
    Minha dúvida: Tenho PGBL com taxação regressiva definitiva, feita há mais de 10 anos e tenho outros rendimentos. Pergunto no resgaste do mesmo serei taxado em 10% de IR, gostaria de saber se terei que oferecer o valor do resgate para nova tributação junto com minhas outras rendas ou a natureza do valor resgatado será o de TRIBUTAÇÃO EXCLUSIVA NA FONTE?
    Antecipadamente,
    Muito Obrigado
    Rui.

  17. Bruno Proence Alves disse:

    Olá,

    Não moro mais no Brasill. Fiz a saída definitiva. Tenho previdência PGBL. Ao sacar pagerei 27,5%, ou 15% de IR?

    Obrigado,
    Bruno

    • drmoney disse:

      Bruno, para responder precisaria saber se seu PGBL é progressivo ou regressivo. O fato de você estar fora do Brasil não muda a alíquota do IR sobre esta aplicação.

  18. Adilson disse:

    Boa tarde!
    Venceu uma aplicação minha que estava em CDB.
    O gerente do Bradesco me sugeriu como aplicação financeira um VGBL (Bradesco FICFI RF VGBL Dinâmico).
    Com carência de 6 meses, alíquota de 15% e rentabilidade em outubro de 1,52% bruto, sendo a taxa de adm de 1,5%.
    O que vc acha ??

    • drmoney disse:

      Adilson, não tenho condições de responder sem ter acesso mais detalhado à sua situação financeira e tributária. Pode ser que nenhuma dessas duas opções seja a ideal para você.

  19. Cristiano disse:

    Bom dia. Tenho uma dúvida quanto ao resgate antecipado de um plano Brasilprev VGBL tabela de IR regressiva… Quando faço uma simulação de resgate total no site mostra uma tabela regressiva de desconto do IR sendo até 02 anos 35%, de 2 a 04 anos 30% etc. Já estou a 08 anos no plano e na simulação de resgate mostra assim: os rendimentos dos dois primeiros serão tributados em 35%, do segundo ao quarto ano 30% e assim por diante. Eu imaginava que ao ultrapassar 08 anos incidiria IR de 15% mas sobre todos os rendimentos desde o início do plano e não escalonado como na simulação de resgate… Está certo isso? Isso ocorre somente para resgate antecipado ou no final o IR incidirá escalonado também? Grato

    • drmoney disse:

      Cristiano, no regime regressivo, a incidência do IR é proporcional ao tempo de CADA aplicação. Assim, as primeiras aplicações terão alíquota menor, enquanto as últimas terão alíquota maior. Isto ocorre a qualquer tempo, inclusive no final.

  20. Leandro Bueno disse:

    Olá Dr Money!
    Tenho um PGBL no regime de tributação progressivo que “herdei” da última empresa onde eu trabalhava. Parte do dinheiro foi aporte meu e parte da empresa. Tenho conseguido fazê-lo render mais que a taxa de adm, mas sempre abaixo da SELIC. Como tenho mais de 20 anos para me aposentar, estou pensando em sacar este PGBL para aplicação em outros lugares (tesouro direto para começar). Com certeza neste prazo conseguirei recuperar o que pagarei de impostos e ainda me sobrará “alguma coisa”, sem contar a liberdade que terei para gerenciar de forma mais independente este recurso . Sei que de cara terei que pagar 15% de imposto, mas penso em fazer o saque logo no início do ano para ficar o mais distante possível da próxima declaração de ajuste e maximizar o retorno em cima dos 17,5% adicionais que terei que pagar a receita. Faz sentido meu minha linha de raciocínio?

    • drmoney disse:

      Prezado Leandro, de onde você tirou que vai ter que pagar IR de 32,5% (15% + 17,5%)? A alíquota do IR sobre o PGBL no regime progressivo é a mesma que incide sobre a sua declaração de IR. No seu caso, a alíquota vai depender do tipo de formulário que você usa e, no caso do formulário completo, das deduções a que você tem direito. Quanto ao timing para o resgate, se você de fato acha que pode fazer o dinheiro render mais, vale a pena resgatar o quanto antes, independentemente da data de sua declaração do IR.

  21. sarah disse:

    bom dia ! estou pensando em fazer um PGBL regressivo. O meu banco não cobra ta se deixar por 5 anos. Penso em fazer aplicação anual de 12% da minha renda bruta ja que faço declaração completa. Minha dúvida é aseguinte, quando passar os 10 anos e eu for resgatar pagarei 10% de IRPF. Haverá diferença a pagar de IRPF ,ou seja, terei que pagar os 17,5% restante ?

  22. Flavio Lira disse:

    Tenho um BRADESCO PGBL PRIVATE F10, aplicado a pouco mais de dois anos (último aporte), mas estou precisando de dinheiro para pagar uma dívida. Vale a pena sacar todo o valor do PGBL para evitar tomar um empréstimo consignado (taxa 19,28% AA)?

    • drmoney disse:

      Flavio, sua alíquota será de 30%, bem superior à sua aliquota de IR (suponho que você faça a declaração pelo modelo completo). Por outro lado, a rentabilidade do PGBL é menor que a taxa do consignado. Para dar uma resposta definitiva, precisaria fazer algumas simulações, com base no prazo do empréstimo.

  23. DR MONEY disse:

    BOM DIA , TD BEM?

    TENHO UM PGBL REGRESSIVO(86.500,00) ;HA 6 ANOS , E SO AGORA
    DESCOBRI QUE NO RESGATE , PAGO IRENDA SOBRE O MONTANTE ;VC ACHA Q. CONVEM EU FAZER UM VGBL OU CONTINUO FAZENDO APORTES MENSAL?? PRA MIM NÃO CONVEM DESCONTAR I. RENDA GOSTARIA DE UMA RENDA VITALICIA SE FOSSE VANTAGEM . OU RESGATAR .
    AINDA TENHO MINHAS DUVIDAS GOSTARIA DE ALGUM,AS SUGESTÕES DE ALGUEM QUE ENTENDA DO ASSUNTO

    TENHO 48 ANOS .

  24. Diná disse:

    Prezado Dr Money
    Tenho uma PGBL empresarial onde coloco 1% do meu salario e a empresa coloca mais 1%. E sobre estes valores tenho rentabilidades.
    Se eu mantiver contrato com a empresa por no minimo 3 anos, eu resgato tudo o que eu coloquei e mais 20% do que a empresa contribuiu (é uma tabela, quanto mais tempo fico na empresa mais eu levo do que ela contribuiu).
    Supondo que eu me desligue da empresa com 3 anos e tenha direito somente aos 20% que ela contribuiu, mesmo o PGBL não sendo interessante no meu IR, você acha que ainda assim é vantajoso manter?
    Obrigada

    • drmoney disse:

      Prezada Diná, parece vantajoso sim, dado que você, de cara, tem uma “rentabilidade” de 20% sobre todas as suas contribuições. Só isso já dá aproximadamente 2 anos de rentabilidade em um investimento conservador.

  25. Ana disse:

    Dr. Money, bom dia. Eu tinha uma aplicação COMPROMISSADA DI no meu banco, onde frequentemente eu fazia resgates parciais e segundo meu gerente, nos quais eu pagava somente o IR sobre o rendimento daquele montante resgatado.
    Acontece que a dias atrás por algum motivo ( o banco está averiguando) o sistema do banco para minha total surpresa resgatou o montante TOTAL da aplicação, fazendo com que eu pagasse o valor de IR sobre todo este valor.
    Tenho duas perguntas: Está correto o meu entendimento de que nos resgates parciais há a incidencia do IR somente sobre o RENDIMENTO e que somente no caso do resgate total do valor haverá a incidência do IR sobre o valor total do montante aplicado?
    Por favor, esclareça:
    E a MINHA MAIOR PREOCUPAÇÃO: meu gerente afirmou que se eu aplicar novamente este montante , NUNCA mais será cobrado o IR sobre ele, só e somente só sobre a rentabilidade futura.
    Por favor me explique sobre essa ISENÇÃO do IR se realmente não existe a possibilidade de eu pagá-lo em duplicidade se eu aplicá-lo em uma compromissada DI ou no fundo LCI, ou ainda em qualquer outro.
    Muito obrigado!

    • drmoney disse:

      Prezada Ana, como é uma compromissada DI, o IR é sempre cobrado somente sobre o rendimento, independente se é resgate parcial ou total. O PGBL é a única modalidade em que o IR é cobrado sobre o montante total resgatado.
      Se você reaplicar novamente em compromissada DI, haverá cobrança normal de IR sobre os rendimentos dessa nova aplicação. No caso do investimento em LCI, não há cobrança de IR, pois este é um investimento isento para a pessoa física.

  26. Magali disse:

    Tenho um Plano de Previdência PGBL. Gostaria de saber se ao fazer uma retirada de 10.000,00 e aplicar na Poupança quanto tenho
    que pagar de I.Renda uma vez que sou aposentada, idosa, e o que recebo do INSS está isento do imposto.

  27. Claercio pacheco disse:

    Tenho hoje 100000,00mil aplicado em pgbl e 100000,00 aplicado na poupança, não vou precisar deste dinheiro no próximo ano, e viável eu transferir o dinheiro da poupança para pgbl. Grato

    • drmoney disse:

      Prezado Claercio, é preciso saber QUANDO você vai precisar do dinheiro. Não precisar do dinheiro no próximo ano não é informação suficiente para entender a sua situação e aconselhar um investimento.

  28. Monique disse:

    Boa tarde
    Tenho um plano PGBL do BB, tributação progressiva com 130.000. Tenho 55 anos e me aposentei a pouco tempo mas continuo trabalhando. Um orientador financeiro está me indicando migrar esse plano para outro com tributação regressiva e com taxas melhores, e parar de aplicar em previdência privada e aplicar em tesouro direto e LCA´s, o que também possuo. O que você acha dessa sugestão? Estou na dúvida, pois irei pagar muito imposto de renda ano que vem com a soma das minhas duas rendas, mas, para ter melhor rendimento no futuro estou disposta a juntar todo mês a quantia para pagar ao leão.
    Obrigada !

    • drmoney disse:

      Prezada Monique, não entendi: ele está dizendo para migrar para um outro plano de previdência, e ao mesmo tempo parar de aplicar em planos de previdência? Poderia explicar melhor?
      De qualquer forma, para responder se vale a pena migrar para TD e LCAs, seria preciso comparar as taxas desses investimentos APÓS o pagamento do IR, para ver se compensa.

  29. Roberto disse:

    Tenho 2 dúvidas. Por favor, pode me ajudar?

    1) Tenho uma aplicação CDB que paga 96% do CDI. Já estou com ela há 2 anos e o IR está em 15% em caso de resgate. VAle a pena resgatar pra investir em um outro CDB que pague um % do CDI maior que o que eu contratei? (por exemplo, 110% do CDI). Minha dúvida é em relação ao resgate e a tributação do IR. Devo permanecer ou vale resgatar e reinvestir?

    2) Tenho um PGBL (100% renda fixa) de R$ 20.000,00 (valor exemplo) e tabela progressiva. Quero resgatar pra reinvestir em Tesouro Direto. Qual a melhor forma de resgatar esse PGBL pra minimizar a tributação de IR? Pois se eu resgatar tudo de uma vez só eu pagarei 27,5% no valor total, confere!? Qual a melhor estratégia? Existe uma planilha (considerando PGBL tab progressiva) que eu consiga ver o quanto o Tesouro Direto precisaria render a mais para eu compensar a perda fiscal do resgate do PGBL?

    grato

    • drmoney disse:

      Prezado Roberto
      1) Se você ficar aplicado por mais dois anos, sim, vale a pena resgatar. Se não, aí precisa fazer a conta da diferença de rentabilidade, para ver se vale a pena voltar para uma alíquota mais alta.
      2) Nada compensa o resgate do PGBL, pois você vai pagar IR duas vezes: no resgate do PGBL e no rendimento da nova aplicação. E não adianta resgatar aos poucos, pois você leva os resgates do PGBL para a sua declaração anual do IR, e pagará a diferença de alíquota na declaração anual.

  30. RICARDO disse:

    Boa noite.O gerente do B.Brasil na minha agência me convenceu a trocar uma aplicação que tinha no fundo BB Renda Fixa Referenciado DI LP 250 mil para um Fundo da Brasilprev RT FIX VI FIC no valor de R$ 100.000,00.O meu dinheiro vai ficar bloqueado por 6 meses.Aplicação em 23/06/2016.Ele me disse que esse fundo tem um rendimento melhor.Se eu for sacar todo o dinheiro no final de 6 meses,quando vence o prazo para resgate,terei algum desconto de imposto de renda?Foi melhor trocar de fundo?

    • drmoney disse:

      Prezado Ricardo, o RT Fix tem rendimento pior que o DI LP 250 mil, antes do imposto de renda. O que pode acontecer é que, se você optou pelo regime regressivo, e esperar 10 anos, o IR menor lá na frente pode compensar a diferença de rentabilidade.

  31. Aluizio disse:

    Tenho um PGBL e estou pensando em resgatar valores que seriam isentos de IR segundo a tabela. Desta forma consigo fazer os saques sem necessidade de adicioná-los à renda bruta anual ?
    Novamente obrigado.

    • drmoney disse:

      Prezado Aluizio, seu PGBL é progressivo, correto? Você sempre vai precisar adicionar à sua renda bruta anual para calcular o IR, a não ser que você declare pelo formulário simplificado.

  32. Aluizio disse:

    Dr. Diga-me a melhor forma de resgatar um PGBL com o menor impacto de IR , considerando o tipo progressivo ou seja com o impacto máximo de 27,5%.
    Pelo que entendi nos comentários publicados, parece-me que não adianta resgatar dentro da tabela do IR, pois no ajuste anual a “facada”virá… é isso mesmo? ou tem jeito ?
    Obrigado.

  33. Lilian disse:

    É uma boa opção de investimento a longo prazo, aquisição de uma previdência VGBL com tributação regressiva com aporte único de R$ 25 mil?

    Outra dúvida: Tenho PGBL no regime progressivo desde 2009. Atualmente, está no R$ 10 mil. Estaria no momento de resgatar para aplicar em outro fundo? Utilizo-o no IRPF apenas o rendimento +/- R$ 1.500,00.

    • drmoney disse:

      Lilian, depende da taxa de administração do VGBL, comparada com outras modalidades de investimento. Quanto ao PGBL, não vale a pena resgatar para aplicar em outro investimento com mesma taxa de administração, só se fosse com taxa de administração mais baixa, para compensar o imposto sobre o rendimento, que no PGBL não existe.

  34. Maria disse:

    Olá Dr Money,
    Meu nome é Maria, tenho 55 anos e há anos fiz um plano de PGBL de regime tributável compensável, ou seja, 15% de tributação independente do tempo. Possuo um saldo R$ 103.000,00 e meu contador disse que não utilizo em minha declaração de IR o benefício do PGBL, que ele não faz diferença pra mim. Hoje vi que a renda vitalícia aos 60 anos não compensa pois receberia cerca de R$ 500,00 mensais.
    Minha dúvida seria se vale a pena receber uma renda temporária de R$ 1.450,00 mensais por quase 6 anos começando agora para resgatar o valor aplicado sem perder os 15% de tributação e fazer um outro tipo de aplicação (aceito até sugestão) ou resgatar o valor todo agora e fazer outro investimento?
    O que faço?

    Muito obrigada!

    • drmoney disse:

      Prezada Maria, se o regime é compensável (tributação progressiva), o ideal é resgatar o mínimo necessário para que a alíquota do IR seja a menor possível. Acredito que seu contador já tenha feito esta conta, mas é preciso compor a sua renda atual com o valor do resgate, para calcular a alíquota correta do IR, que pode ser maior ou menor que 15%, a depender do montante resgatado. Se você não precisa do dinheiro agora, talvez não valha a pena resgatar, a não ser que você tenha uma aplicação que renda mais, líquido do IR.

  35. sergio disse:

    Caro professor
    Tenho um PGBL no bradesco de valor de 650 mil feito em 15 anos de contribuições. O bradesco me ofereceu 2 formas de resgate, renda vitalicia com transferencia para herdeiros de R$ 1.041,00 ou sem tranferencia de herdeiros de R$ 3400 (nesse caso eu receberia durante 15 anos e caso haja o meu falecimento o que restar retorna para o banco).
    Eu não gostei nenhuma das duas e depois de muita chateação estou pensando em mudar para outro banco…o que sr acha?

    • drmoney disse:

      Prezado Sergio, para responder com precisão, precisaria saber se é regime regressivo ou progressivo. Além disso, você deve fazer cotação em outros bancos para este mesmo montante. Não se surpreenda se receber respostas ainda mais desanimadoras…

  36. Douglas disse:

    Bom dia drmoney, um cliente meu tem um PGBL a mais de 35 anos ele trabalho 25 anos em uma empresa e já e aposentado a dez anos, ele esta com duvida se ele e isento de imposto de renda no resgate(devido ao tempo que o mesmo tem) e se paga ele deve pagar quanto de imposto de renda?

    • drmoney disse:

      Prezado Douglas, ninguém é isento de IR no resgate do PGBL. Para saber a alíquota de imposto, precisaria saber se ele optou pelo regime regressivo. Se sim, sua alíquota será de 10%. Se não, o resgate comporá a renda na declaração anual, e aumentará a alíquota da própria declaração.

  37. André disse:

    Dr. Money. Tenho PGBL dentro dos 12% da minha renda. Vantajoso para declaração completa, que é meu caso, para redução do pagamento de IR ao final do ano. Meu regime é tributação progressiva compensável. Vale a pena resgatar esse dinheiro agora e reaplicá-lo ao final do ano para (1) reusar quase o mesmo montante e (2) continuar tendo o benefício fiscal? Considere a aplicação de 2015. Grato.

    • drmoney disse:

      Prezado André, não vale a pena. Veja o raciocínio:
      Hipótese 1: você deixa o montante que aplicou em 2015 no PGBL. Em 2016, você faz novamente a aplicação. Digamos que você ganha 1.000, você aplica 120, sua base de cálculo passa a ser de 880. Digamos que a alíquota seja de 15%, seu IR será de 132, e seu saldo final será de 748. Somados aos 120 que você aplicou em 2015 e mais os 120 que você aplicou em 2016, sua riqueza final será de 988.
      Hipótese 2: você resgata o montante que aplicou em 2015. Em 2016, você faz a aplicação duas vezes: a que você normalmente faria, e aquela outra que você resgatou. Como você ganha 1.000, sua renda total será de 1.120 (renda + resgate). Você aplica no PGBL 240, mas a sua base de calculo não deduz todo este montante, pois 240 é mais do que 12% da sua renda (1.120). A sua base de cálculo será de 88%x1.120=985,6. Digamos que a alíquota continue em 15% (na verdade, a alíquota será maior, pois a sua renda aumentou com o resgate). Assim, o seu imposto será de 147,84 (15%x985,60), e sua renda líquida será de 837,76. A este montante, você soma 120 para calcular a sua riqueza total, que será de 957,76. Menor, portanto, que os 988 da hipótese anterior.
      Isso aconteceu porque você aumentou a sua renda tributável ao resgatar o PGBL.

      • iuri disse:

        Amigo, faz uma regressiva onde vc resgataria mensalmente, após os 10 anos, à alíquota de 10% e reaplicaria para o benefício fiscal do ano. Resultado, dps de 10 anos, o investimento retroalimentaria o benefício fiscal! Ou seja, você deixa de pagar 27,5 hj para pagar 10% amanhã e ainda ganha a restituição. Vc ganhou num cálculo simplista e grosseiro, 17,5% só por decidir protelar o ganho do valor investido.

  38. Silvana disse:

    Tenho plano Brasilprev júnior tradicional, feito em 1998. Meu filho fez 21 anos e o Banco do Brasil oferece fazer a transferência para o Brasilprev PGBL Especial. Há vantagem ou o plano tradicional é melhor? Faço declaração completa e o plano serve como dedução. Meu filho cursa faculdade e continua meu dependente.

    • drmoney disse:

      Prezada Silvana, a comparação entre os planos precisa ser feita com base na taxa de administração e na taxa de carregamento, caso você ainda faça aportes, entre os dois fundos. Opte por aquele com menor taxa.

  39. Rafael disse:

    Tenho o plano Petros 2 da Petrobras, onde metade do montante acumulado foi depositado por mim e a outra metade pela empresa. Se eu quiser sacar o dinheiro hoje, pelo regramento do plano, só poderei resgatar a parte que eu depositei. Caso eu faça a portabilidade para outro plano posso levar o valor integral. Minha dúvida é se nesse novo plano que eu escolher poderei sacar o valor integral (minha parte mais a parte da empresa).
    Obrigado

  40. Pablo disse:

    Bom tarde! Tenho desde 2006 um plano PGBL no BB com tabela regressiva. Em 2014 migrei minha conta para uma agencia estilo e verifiquei uma aplicação em PGBL sem taxa carregamento e com pequena taxa de administração, circunstância onde também migrei o meu antigo PGBL para este novo investimento. Ao cogitar com o meu gerente a possibilidade de saque do montante, o mesmo me informou que incidiria a alíquota de 35%, o que assustou, já que possuía aplicação em fundo PGBL desde 2006….fica a pergunta: a simples mudança de plano de PGBL “zera” os prazos para redução do IR? Isso não seria mera portabilidade?

  41. Laurismar disse:

    Tenho uma aplicação num PGBL desde 2009 com regime de tributação fixo. Qual seria o valor líquido eu conseguiria para cada 10.000 reais a resgatar.
    Ademais, eu fiz portabilidade deste plano. Desde 2009 está num banco, mas quando fiz a portabilidade já havia mais de cinco anos. Entendo que já tenho 12 anos de investimento. Não é isso? Ou o tempo conta a partir de cada portabilidade, começando tudo de novo. Não fiz nenhum resgate.
    Obrigado!

    • drmoney disse:

      Laurismar, o tempo conta desde a primeira aplicação, a portabilidade não interrompe o tempo de aplicação. Com relação à questão sobre o valor líquido, não sei o que significa “regime de tributação fixo”. Conheço regime regressivo e progressivo.

  42. Jessica disse:

    Bom dia,
    Possuo uma VGBL com regime tributário progressivo, li alguns artigos na internet e vi que o progressivo não entre no meu perfil, pois pretendo deixar o valor até o fim do meu plano, no caso o regressivo vi que é mais vantajoso, pois não pretendo movimentar o que tenho aplicado. A taxa de administração é de 3,2% e taxa de carregamento 2%, compensa permanecer com essa aplicação?

    • drmoney disse:

      Jessica, depende de como você declara o seu IR, se na declaração simplificada ou completa, e do tamanho da sua renda. Estas duas informações são importantes para saber qual a sua alíquota. Até para saber se a taxa de 3,2% é alta ou adequada, precisaria saber quanto você tem aplicado.

  43. adriana disse:

    dr money tenho um dinheiro em vgbl apliquei 100000,00 tem 2anos ¨com ta1,25%;Gostaria de resgatar tudo para aplicar em um fundo de renda fixa de ta de 0,5%.o sr acha que compensa?a aliquota e regressiva.o imposto e somente sobre os rendimentos o total da aplicacao?

    • drmoney disse:

      Adriana, considerando a diferença de alíquota de IR e de taxa de administração, parece ser mais vantagem resgatar do VGBL e aplicar no fundo de renda fixa, considerando que a rentabilidade ANTES DA COBRANÇA DO IR SEJA A MESMA nas duas modalidades.

  44. OLINDA BAFA disse:

    O imposto de renda comeu 27% da minha retirada do PGBL, é isso mesmo? Quando retirei o banco descontou 15% e não falou que o I.R. me cobraria mais 12% !!!

    • drmoney disse:

      Se o PGBL é progressivo, é isso mesmo. Se você declara no formulário completo, poderá levar este IR pago no PGBL para a sua declaração anual e abatê-la do total do IR devido.

  45. Cesar disse:

    Possuo aplicações em PGBL e VGBL. Nos últimos 12 meses o rendimento está abaixo do CDI.
    Gostaria de mudar para uma aplicação de melhor rendimento. Quais as melhores opções?

  46. Leandro disse:

    Boa noite , Dr Money

    Tenho duvidas de como analisar melhor planos de Previdência Privada. Seriam do tipo PGBL, conservadores. Um tem como índice de referência IPCA+4% ao ano e o outro tem como índice CDI. Se os dois conseguissem acompanhar seus indicadores qual , a longo prazo, seria mais interessante? Você tem como informar os dados de IPCA e CDI desde 2005 para que eu possa ter idéia? Desde já muito obrigado

    • drmoney disse:

      Leandro, não adiante olhar o passado. Nos últimos 10 anos (desde 2005), provavelmente o CDI ultrapassou o IPCA+4%. Mas é preciso olhar para o futuro: se o Banco Central não controlar a inflação, e se o governo não controlar a sua dívida pública, pode ser que o IPCA+4% supere o CDI, pois teremos inflação cada vez maior. Então, trata-se de uma aposta no futuro: se você acha que o governo não será capaz de controlar a inflação, prefira o IPCA+4%. Se você achar o contrário, prefira o CDI.

  47. wagner disse:

    Gostei muito do seu Blog e gostaria de solicitar uma orientação financeira. Pretendo investir mensalmente R$ 1000,00 durante 10 anos e com isso vem a pergunta:

    Qual a melhor aplicação nesse caso?

    Lembrando que não pretendo mexer nesse dinheiro nesse período.

    Obrigado

    • drmoney disse:

      Wagner, muito difícil orientá-lo sem conhecer os seus objetivos e sua tolerância ao risco. Se você quiser uma consultoria personalizada, entre em contato através do formulário de contato acima. Abraço!

  48. Karin disse:

    Prezado
    eu tenho um PGBL e faço declaracao de IR completa, sem perspectiva de alteracao. Gracas a aportes adicionais para completar os 12%, minha restituicao de IR aumenta significativamente, quase na proporcao do meu aporte.
    Mas o plano nao tem rendido muito, e tenho duvida se ao inves de fazer este aporte complementar, deveria investi-lo em outra coisa. Nao vi nenhuma discussao sobre imposto além do imposto cobrado no saque do PGBL. Poderia me dar sua opiniao? Obrigada

  49. veronica disse:

    Boa tarde Dr. Money,
    Tenho um VGBL 15/30 há 5 anos pela tabela progressiva no valor de R$ 25.100,00, a taxa de administração é de 3%, minha declaração do IR é simplificada , o rendimento é muito baixo e por vezes é negativo. A gerente me ofereceu um vgbl F24 renda fixa com taxa de administracao de 1,9%.
    mas eu não poderia migrar do plano que tenho para esse que ela me oferece, teria que investir outros R$ 30.000,00. Eu disponho desse valor aplicado em poupança que pretendo investir em algum fundo
    devido a pouca atratividade da poupanca.
    A minha pergunta será que vale a pena ter dois Vgbl, visto que ambos tem baixo rendimento?Atualmente me encontro desempregada e fico preocupada em deixar esse dinheiro e só depois de 6 meses poder resgatar.
    Ou seria mais sensato resgatar o vgbl que tenho a 5 anos pagaria 15% do total dos rendimentos e tentar uma aplicação do tesouro direto ou LCI/ LCA..
    Quando falei dessa possibilidade com a gerente de investir os 30,000,00 no tesouro direto ou nas lci/lca ela me disse que nao seria vantajoso. Fico me perguntando se o banco não esta querendo me empurrar esses produtos que são mais vantajosos para eles e nao para os clientes. Muito obrigada

  50. Elaine disse:

    Boa tarde,qual investimento é mais vantajoso tanto para o quesito imposto quanto rendimento : PGBL ou TD ? Obrigada, Elaine

    • drmoney disse:

      Elaine, vai depender das circunstâncias pessoais do investidor. Se quiser, entre em contato através do formulário de contato do blog para que possamos conversar melhor.

  51. Guilherme disse:

    Boa tarde! Muito bom o Blog, parabéns! Tenho uma dúvida que não consigo encontrar respostas/soluções. Tenho uma aplicação de 34.000 em um PGBL progressivo (15 meses) cujo aporte seria para chegar aos 12% de contribuição e abater no imposto de renda. Entretanto, acabei colocando bem mais que o necessário para os 12% por ingenuidade na época, e confiança no gerente (aprendi cruelmente com o erro). Estou desde o início do ano pensando na melhor forma de resgatá-lo, já que pelas simulações que faço, terei um baita prejuízo. Será que poderia resgatar o valor limite em que a alíquota da tabela progressiva é 0% (1.710,78 reais mensais, ou 20.529,36 anual), até retirar todo o dinheiro? Como recebo salário mensal, esse valor recebido somaria ao valor do salário para cálculo do imposto de renda, aumentando a alíquota, e meu raciocínio não seria válido? O cálculo da alíquota da tabela progressiva é feito somente em cima do valor resgatado, independente de quanto recebo de salário mensal/anual? O que acha que pode ser a melhor solução para meu caso.? Queria retirar tudo de uma vez para investir em renda fixa, mas não parece a melhor opção. Desde já, muito obrigado!

    • drmoney disse:

      Guilherme, qualquer resgate que você faça do PGBL será levado à declaração anual como renda. Assim, não adianta resgatar “aos poucos”, qualquer resgate vai pagar a sua alíquota de IR. De fato, não há jeito de escapar do prejuízo. Sorry.

  52. Maira Duarte disse:

    Bom dia!
    Tenho uma aplicação de 200.000 no vgbl estilo, há mais de 5 anos e com alíquota regressiva.
    Faço aportes mensais de 480 reais e pago taxa de administração de 1,5% .
    Estou pensando em retirar parte do valor para aplicar em ntnb – IPCa + 6,90%, mas estou em dúvida de vale a pena.
    Essa minha aplicação do vgbl está rendendo bruto uma média de 1,10%.
    Por favor, me dê sua opinião .
    Obrigada

    • drmoney disse:

      Maira, no caso do VGBL, se você aguardar mais 5 anos, sua alíquota de IR será de 10%, contra 15% no TD. Assim, você precisaria ter uma rentabilidade no TD 5% superior à rentabilidade do VGBL. Se o VGBL está rendendo 1,10%, o TD precisaria render (1,10 * 1,05) = 1,16% ao mês para começar a valer a pena. Esta é a conta que precisa ser feita.

  53. Monica disse:

    Tenho um pgbl que, fazendo a simulação de resgate, me tira 15% de imposto de renda. Gostaria de aplicar em LCA ou Tesouro Direto. Vale a pena a retirada? Como fazê-la?

  54. Wellington disse:

    Ola.
    Fiz a portabilidade de um fundo de previdencia privado para um PGBL na Caixa à 60 dias no valor de 18.900 hoje ja esta no valor de 19.400, liguei la para me informar quanto de imposto eu pagaria se eu resgatasse hoje e eles me disserem que seria 35% IR sobre o total. Porem minha duvida é, nao seria 35% do valor que rendeu, ou seja 500 ??
    Muito obrigado

    • drmoney disse:

      No caso do PGBL, a alíquota incide sobre o valor total do resgate, não sobre o rendimento. Lembre-se que você economizou este dinheiro na sua declaração anual de IR, pois ele saiu da sua base de cálculo do imposto. Claro, se você declara com o formulário completo. Se você declara no formulário simples, perdeu dinheiro.

  55. André Pfister disse:

    Eu e minha esposa começamos um VGBL (regressivo pelo BB) em março de 2014. Caso necessitarmos retirar o valor total perderemos 35% do valor e não mais recuperaremos isso?

    • drmoney disse:

      André, no VGBL o imposto é cobrado sobre o rendimento. Assim, se você investiu R$ 1.000, e agora tem R$ 1.100, o seu rendimento foi de R$ 100. O imposto será de 35% sobre R$ 100, ou R$ 35. Portanto, seu rendimento líquido será de R$ 1.065. Esta tributação é definitiva, portanto não pode ser compensada na sua declaração anual do IR. A partir de março de 2016, quando o fundo completar 2 anos, a alíquota cai para 30%. Espero ter esclarecido.

  56. Gladson Eduardo disse:

    Bom dia, estou indeciso, pois tenho um plano de previdência privada (Brasilprev), VGBL, Progressiva, e com taxa de carregamento de 4% , taxa administrativa de 3%, e de 1,5% sobre resgates e transferências. Nesse caso estou a quatro anos e o valor não teve nenhuma lucratividade. Tem 50% da contribuição vai para o fundo FIX III e os outros 50% vai para o fundo C VIDA 2030 II.

    O que posso fazer para tentar melhora o rendimento, devo deixar tudo em renda fixa, tira da previdência e colocar em outros tipo de investimento? Por favo, me ajudem nas informações. Agradeço.

    • drmoney disse:

      Gladson, são muitas as alternativas disponíveis no mercado, e cada uma delas têm as suas particularidades. Difícil te ajudar sem conhecer melhor as suas necessidades e características. Se você tiver interesse, entre em contato via o formulário de contato no alto da página, e veremos o que podemos fazer.

  57. luiz Marchi disse:

    tenho plano previdência BB VGBL taxação regressiva.
    O rendimento mesmo em renda fixa do plano(RT FIX II FIC ou RT FIX V FIC) está baixo e mesmo assim cobram taxa de administração:
    –como podem cobrar taxa de administração se nada fazem ou nada podem fazer para melhorar o rendimento? Ou ainda, se podem fazer algo, não fazem.
    Pode dar alguma dica?
    Entendo que a parte variável(RTC VIDA 2040 ou RT COMPOSTO RV49D) é a parte arriscada do investimento, mas se há uma taxa de administração a ser cobrada(2%) teriam de ter a responsabilidade de administrar melhor.
    O que aconselha?

    • drmoney disse:

      Luiz, a taxa de administração é devida, independentemente da rentabilidade obtida. Se você não quiser pagar taxa de administração, recomendo investir via Tesouro Direto. Mas, neste caso, você vai precisar escolher os títulos a serem comprados, e terá que pagar outras taxas, como custódia, que serão menores do que a sua atual taxa de administração de 2%.

  58. izabela disse:

    No caso da Eunice sobre o VGBL, ela pode jogar o vencimento ou a data de saida para frente, para não ser obrigada a resgatar tudo, nem ser obrigada a escolher a aposentadoria fixa mensal, e ir tirando devagar os valores com imposto menor, ou isso só compensa no VGBL na forma de IR regressivo? ( o dela é progressivo)

    • drmoney disse:

      Izabela, isso só vale para o progressivo. Para o regressivo, o imposto é definitivo, não dá para compensar na declaração anual do IR. Neste caso, tanto faz o montante resgatado, a alíquota será sempre a mesma.

  59. Flávio disse:

    Bom dia, tenho Um Pgbl vinculado a uma empresa medica é só pago 0,3% ao ano de taxa de administração e sem taxa de carregamento. Já tem 7 anos que estou contribuindo na tabela regressiva. Vi que em caso de resgate, caso eu espere 10 anos deverei pagar 10% sobre o saldo total e lucro. Caso o meu plano tenha um renda de 10% ao ano de média, lá no final não vou tem rendimento nenhum já que vai abater 10% ? E compensa aumentar o aporte para 12%da sua renda tributável, já que lá na frente vc vai ter que pagar 10% do montante geral ? Este dinheiro poderia ser aplicado no TD com fins especulativos.

    • drmoney disse:

      Flávio, a conta é a seguinte: você aplica R$ 1.000 por, digamos, 10 anos, rendendo 10% ao ano. Lá no final, você terá R$1.000*(1,1)^10=R$ 2.593,74. Sobre este montante, você pagará 10% de IR sobre o total, o que resulta em um líquido de R$ R$ 2.334,37.Fazendo a conta inversa, isso dá um rendimento líquido de 8,85% ao ano.
      Com relação à sua segunda perguan, vale a pena fazer o aporte de 12% sobre a renda tributável se sua alíquota de IR for maior do que 10%. Para descobrir sua alíquota de IR, sugiro a visita a este site: http://vigilantesorcamento.com.br/aliquota-de-ir-efetiva/

  60. Eunice disse:

    Meu VGBL l vence em 2015 montante em 500.000
    Tenho que perder 27,5 existe outra forma de resgate q nao seja tanto a parte do leão ?

    • drmoney disse:

      Eunice, se sua alíquota é de 27.5%, provavelmente seu VGBL tem alíquota progressiva. Se você resgatar aos poucos, você vai jogar o rendimento em sua declaração anual de IR (se você declarar no formulário completo), e sua alíquota será menor do que esta. Quanto mais você resgatar em um ano, maior será a sua alíquota.

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.