Quer ganhar um e-book GRÁTIS?


Assine a nossa lista, e receba grátis o e-book

"Como montar o seu Plano de Investimentos"!

 

Investimentos

PGBL x VGBL – Qual a melhor opção para você?

Sempre que se fala em aposentadoria, duas opções de investimento logo surgem na discussão: o PGBL e o VGBL. Para os menos versados no assunto, PGBL significa Plano Gerador de Benefícios Livre e VGBL,Vida Gerador de Benefícios Livre. A diferença entre essas duas modalidades de investimento está no tratamento tributário.

A tributação do PGBL ocorre sobre o investimento todo, ao passo que, no VGBL, a tributação incide somente sobre o rendimento da aplicação. Vejamos um exemplo: digamos que você aplique R$ 1.000 em um PGBL e outros R$ 1.000 em um VGBL. Depois de um ano, você tem R$ 1.100 em cada uma dessas aplicações. Digamos que a alíquota do imposto de renda seja de 35%. No PGBL você pagará de imposto 35% x R$ 1.100, o que resulta em R$ 385. Portanto, você resgata somente R$ 715. Já no VGBL, o imposto incide somente sobre os R$ 100 de retorno do investimento: 35% sobre R$ 100 dá R$ 35 de imposto. Portanto, você resgata R$ 1.065.

– Pô Professor Money, parece óbvio que o VGBL é melhor! Ou eu perdi alguma coisa no raciocínio?

Não meu amigo, não perdeu não, pois eu ainda não acabei de contar a história. O lado bom do PGBL é que ele é dedutível da base de incidência do imposto de renda, até o limite de 12% da sua renda. Assim, se você teve um rendimento de R$ 10.000 no ano, e investiu R$ 1.000 no PGBL, o seu IR será calculado sobre R$ 9.000, e não mais sobre R$ 10.000. Apenas para fins didáticos, digamos que a sua alíquota de imposto de renda seja de 35%. Sem o investimento no PGBL você pagaria 35% sobre R$ 10.000, o que daria R$ 3.500. Deduzindo o PGBL, o IR passa a ser de 35% sobre R$ 9.000, o que dá R$ 3.150. Ou seja, R$ 350 a menos de imposto.

Então, vejamos:

– PGBL: R$ 385 (imposto sobre o investimento) – R$ 350 (redução do IR) = R$ 35

– VGBL: R$ 35 (imposto sobre o investimento)

– Bem, Professor Money, deixe-me ver se eu entendi: se as duas são equivalentes do ponto de vista financeiro, vou preferir o VGBL, pois não vou precisar me preocupar com declaração anual de IR, limite de 12%, e todos esses detalhes…

Calma, devagar com as conclusões. Note que, no exemplo acima, usei a mesma alíquota para ambos os exemplos. E nem sempre é assim. Vejamos o exemplo de um assalariado, com alíquota de imposto de renda de 25%, e desconto de IR na fonte. Digamos que a alíquota de IR do PGBL e do VGBL seja de 10% (isso é possível se você ficar pelo menos 10 anos com o investimento – abordarei este aspecto em um post futuro). Neste exemplo, teríamos o seguinte (considerando os mesmos valores aplicados e o mesmo rendimento do exemplo anterior):

PGBL:

– Imposto sobre o investimento: 10% sobre R$ 1.100 = R$ 110

– Imposto cobrado na fonte: 25% sobre R$ 10.000 = R$ 2.500

– Imposto devido: 25% sobre R$ 9.000 (R$ 10.000 menos os R$ 1.000 aplicados no PGBL) = R$ 2.250

– Crédito de IR devido ao PGBL: R$ 2.500 – R$ 2.250 = R$ 250

– “Lucro”: R$ 250 – R$ 110 = R$ 140

VGBL:

– Imposto sobre o investimento: 10% sobre R$ 100 = R$ 10

– Imposto cobrado na fonte: 25% sobre R$ 10.000 = R$ 2.500

– Imposto devido: 25% sobre R$ 10.000 = R$ 2.500

– Crédito de IR devido ao VGBL: zero

– “Prejuízo”: R$ 0 – R$ 10 = – R$ 10

Portanto, neste caso, o PGBL é mais vantajoso. Como regra geral, para os assalariados que já “morrem” com o IR na fonte, ou mesmo para aqueles que declaram rendimentos no formulário completo do imposto de renda, e que, portanto, podem deduzir as contribuições do PGBL, é melhor aplicar no PGBL, até o limite de 12% do rendimento anual. O que passar disto (parabéns para você que conseguiu poupar mais do que 12% do seu rendimento!), jogue em um VGBL.

Uma observação final: aqui estou analisando apenas as vantagens e desvantagens desses dois investimentos, o PGBL e o VGBL. Em outros posts, vamos colocar outros concorrentes, como o Tesouro Direto e Fundos de Investimento comuns.

Crédito do thumbnail: Free Digital Photos by aechan.

Receba atualizações do site em seu e-mail!

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

140 Comentários

  1. Claudio Martins Delgado disse:

    Excelente artigo, por favor me ajude com uma dúvida. Tenho uma renda anual de R$ 175 mil, sou casado mas não tenho filhos, nem dependentes e pago apenas o plano de saúde (5 mil anual). Sempre declaro na simplificada, mas se for investir em um plano de previdência acredito que seja vantagem mudar para declaração completa e optar pelo PGBL, visto que os 12% da minha renda que podem ser abatidos pelo PGBL representam um valor nominal que o limite da declaração simplificada. Estou correto no meu raciocínio? Ou essa margem é muito pequena e é melhor optar pelo VGBL e ficar na declaração simplificada mesmo.

    • Professor Money disse:

      Prezado Claudio, com essas informações, vejo que sua alíquota de IR efetiva é de 20,75%. Neste caso, vale a pena fazer um PGBL regressivo, e ficar aplicado pelo menos 8 anos, quando a sua alíquota será de 15% (você ganha esta diferença: R$175000*12%*(20,75%-15%)=R$1205,40. Se ficar aplicado durante 10 anos, fica melhor ainda. Claro, esta diferença não pode ser anulada pela diferença entre a taxa de administração do PGBL e a taxa de administração de uma aplicação normal. É este cálculo que precisa ser feito.

  2. Antônio Marcos Correa Neri disse:

    Nunca botei fé em previdência privada porque as taxas não são atraentes. Mas a caixa econômica começou de frescura me cobrando 20 reais de taxa de de manutenção da conta corrente, com a promessa de isentar isso enquanto eu contribuir com um vgbl no valor mínimo, que era de 35 reais. Só queria comentar que acho que fiz bom negócio, considerando que, ou perderia 20 ou resgato qualquer coisa no fim de dez anos. Hoje declaro pela completa no ir, então não faz diferença, pelo valor descontado. Pensei certo?

    • Professor Money disse:

      Prezado Antônio Marcos, se você faz sua declaração pelo formulário completo, o melhor teria sido o PGBL. De qualquer forma, colocar 35 reais em um VGBL é melhor do que pagar 20 reais a fundo perdido, sem dúvida. Só não sei que conta a Caixa está fazendo para propor esta troca.

  3. G disse:

    Bom dia – quando entrei na empresa para a qual trabalhei por 4 anos, me decidi por um PGBL progressivo (faço declaração completa, entrava com 6% e a empresa com 6%). A empresa foi vendida e me deram a opção de sacar tudo, manter como está sem aportes periodicos ou conitnuar contribuindo.
    Como não posso transforma-la em VGBL, minha dúvida é se vale a pena mante-la e neste caso, passa-la para um regime regressivo. O valor tributado no final é o mesmo?
    Meu entendimento é que no caso do regressivo, depois de 10 anos pagarei apenas 10% de imposto e no caso de progressivo pagaria 15% desde agora. Está correto este raciocinio?
    Obrigado

    • Professor Money disse:

      Prezado Germano, o seu raciocínio está parcialmente correto. De fato, se você transformar seu PGBL em regressivo, o IR será de 10% depois de 10 anos. No entanto, se você continuar no progressivo, o seu IR pode ser maior ou menor do que 10%, a depender da sua alíquota do IR na declaração completa. De fato, no resgate do progressivo, você paga 15% na fonte, mas depois você leva este desconto para a sua declaração completa. Se a sua alíquota for menor, você recebe a restituição da diferença. Então, para decidir, você deve conhecer a sua alíquota. Para isso, é útil o site da receita “Simulação de alíquota efetiva”.
      Com relação ao resgate ou não do PGBL, sugiro a leitura do post Vale a pena resgatar do PGBL e aplicar no Tesouro Direto?

  4. Rodrigo disse:

    Bom dia! Parabéns pelo artigo. O mais esclarecedor que encontrei. Porém, ainda estou com uma dúvida. No caso, as outras deduções, como saúde e educação, também entram nesses 12% ou esses 12% são só da previdência mesmo?

    Por exemplo, se eu tenho rendimento anual de 80.000 e gasto 7.000 com plano de saúde e R$5.000 com escola do filho. Independente das outras deduções, eu posso aplicar até R$9.600,00 (12% de 80.000) no PGBL?

    As deduções com dependentes também interferem alguma coisa nesse cálculo?

    Muito obrigado!

    • drmoney disse:

      Rodrigo, os 12% referem-se somente às contribuições para a Previdência, independentemente de outras contribuições. Assim, o seu cálculo está correto.

  5. Guilherme Almeida disse:

    Tenho uma renda de 3,500 reais, e tenho o interesse em deixar aplicado o dinheiro por mais de 10 anos, PGBL OU VGBL é a melhor opção ?
    obs: meu importo de renda é descontado em folha de pagamento,e a empresa onde trabalho me da essas opções de investimento

    PGBL F08 – 15414.001669/2010-12
    PGBL V15/12 – 15414.001666/2010-71
    PGBL V30/12 – 15414.001667/2010-15
    PGBL V40/12 – 15414.001668/2010-60
    PGBL V49/12 – 15414.002827/2012-13

    VGBL F08 – 15414.001588/2010-12
    VGBL V15/12 – 15414.001587/2010-60
    VGBL V30/12 – 15414.001586/2010-15
    VGBL V40/12 – 15414.001585/2010-71
    VGBL V49/12 – 15414.002828/2012-50

    Sendo que se eu aplicar até 3% do meu rendimento a empresa também plica 3%.
    Gostaria de sua ajuda para escolher a melhor opção.

    • drmoney disse:

      Prezado Guilherme, o PGBL vale a pena até 12% da sua renda bruta. Contribuições adicionais devem ir para o VGBL. Entre as opções oferecidas, existem investimentos com baixo risco até investimentos com alto risco (49% em bolsa). Para horizontes de investimento de longo prazo (no caso, acima de 10 anos), você poderia pensar em ir para alternativas com bolsa. A escolha dependerá de sua tolerância ao risco de perdas no curto prazo. Se você se incomoda com estas perdas, deveria escolher investimentos mais conservadores. Se não, pode arriscar um pouco mais, pois o seu horizonte de investimento permite.

  6. Camila disse:

    Olá,

    Gostaria de saber qual a aplicação (valor e período de investimento) em VGBL, para garantir um valor de R$5000,00 mensais (vitalício) como aposentadoria?

    Obrigada!

    • drmoney disse:

      Camila, vai depender da taxa de juros durante o período da aposentadoria. Para o cálculo de um benefício vitalício, considerando, por exemplo, uma taxa de juros de 3% ao ano além da inflação (para que os R$5.000 sejam corrigidos pela inflação), o montante a ser acumulado deveria ser de R$5.000/(0,03/12) = R$ 1.000.000.

  7. patricia disse:

    Bom dia, por favor eu fiquei meio confusa mas estou achando que fiz o investimento certo, eu tenho um pgbl, ja faz 5 anos, meu imposto ja vem descontado na fonte, minha renda bruta é de 7.800, e eu declaro ele no imposto de renda….foi a melhor aplicação? Muito Obrigada pela atenção!

    • drmoney disse:

      Prezada Patricia, difícil afirmar se foi a melhor aplicação, sem conhecer melhor seu perfil e suas necessidades. De qualquer forma, entre PGBL e VGBL, se o montante aplicado foi menor que 12% de sua renda bruta, o PGBL foi a melhor opção.

  8. Bethânia Mansur disse:

    Bom dia! Acordei decidida e acho que entendi o seguinte: se vou optar por VGBL ou PGBL, tendo uma renda de R$ 3.500, significa que até R$ 420 eu devo optar pela VGBL. Certo? Desculpa a ignorância…. obrigada!

    • drmoney disse:

      Bethânia, até R$420 você deveria optar pelo PGBL, pois você pode usar este valor como abatimento de sua base de cálculo no IR. Mas, atenção! Isso só vale se você declara pelo formulário completo. Se você declara pelo simplificado, deve optar pelo VGBL. Outra coisa: se você não pretende ficar por 10 anos nesses investimentos, talvez fosse o caso de ver outras alternativas, como fundos ou Tesouro Direto.

  9. yuri disse:

    Olá,
    Tenho 26 anos e quero retirar os valores com 60 anos (2050). Meu perfil é conservador/moderado. Minha renda bruta é R$2.000,00. A empresa em que trabalho oferece aporte de R$ 50,00 alocados no PGBL, independentemente se eu escolher PGBL ou VGBL e também independe valor que eu pagar (mínimo R$50,00). A taxa de carregamento por aporte é de 2,5%; além da cobrança anual de 1%a.a. Este fundo é composto da seguinte forma: RF: JUROS POS+JUROS PRE+INDICES DE PREÇOS. Estas taxas estão dentro do “aceitável”’? Ainda tenho dúvidas se escolho entre PGBL ou VGBL, bem como saber o rendimento que terei aos 60 anos. Como posso analisar se o plano oferecido possui um bom rendimento? Além da previdência privada, para ter além desta, estou inclinado a investir paralelamente R$10.000,00 com eventuais aportes mensais no NTN-B 2050 (IPCA+ com Juros Semestrais) – hoje (14/12/16) com taxa de rendimento, 5,96% a.a. Gostaria de uma opinião. Obrigado!

    • drmoney disse:

      Prezado Yuri, o PGBL só vale a pena se você declarar seu IR no formulário completo, o que, considerando sua renda, não deve ser o caso. Portanto, opte pelo VGBL. A taxa de carregamento está um pouco salgada, mas a taxa de 1% está ok para o montante aplicado, que é muito baixo. Para saber o seu rendimento aos 60 anos, são muitas variáveis a serem consideradas. Sugiro o uso de uma planilha, como a que pode ser encontrada aqui: http://vigilantesorcamento.com.br/planilha-aposentadoria/
      Com relação ao investimento na B2050, acho uma boa ideia. Mas o seu perfil sendo conservador/moderado, saiba que este título tem uma volatilidade muito alta, e você pode ter rentabilidade negativa em determinados meses, ou por muitos meses. O rendimento deste título só é garantido na data do seu vencimento, se você precisar resgatar antes, pode ter prejuízo.

  10. Carlos disse:

    Sou funcionário e tenho renda bruta de um pouco mais de 8k onde são realizadas todas as deduções, inclusive o imposto de renda na fonte, porém recebo também um aluguel de R$ 1.200,00. Antes de receber esse aluguel sempre tinha restituição de IR, desde que comecei a receber esse aluguel tenho pagar IR. Seria uma boa alternativa aderir a um PGBL, pois em vez de pagar esse imposto abater da base e ainda ter uma previdência?

    • drmoney disse:

      Prezado Carlos, se você não precisa deste dinheiro, sim, pode ser uma boa ideia fazer a aplicação. Tenha em mente, no entanto, que o PGBL só vale a pena se você ficar mais de 10 anos, se for no regime regressivo de IR.

  11. Maria José disse:

    Boa tarde!
    Gostaria de obter informações de como funciona o Planejador Financeiro Pessoal. Tenho perfil conservador e gostaria de otimizar meus investimentos. Tenho VGBL, PGBL, LCI e Poupança para necessidades eventuais, no entanto com relação à Poupança gostaria de saber se existe algum tipo de investimento que eu poderia fazer no qual eu não perdesse dinheiro caso necessitasse resgatar a curto prazo. Também tenho algumas dúvidas com relação ao VG e PG.

    • drmoney disse:

      Prezada Maria José, dependendo do montante a ser investido, um fundo DI com taxa baixa (até 0,75% ao ano) ou o Tesouro Selic podem ser opções à Caderneta de Poupança, para quem pode precisar resgatar no curto prazo.

  12. leonardo peron disse:

    Boa noite, tenho a seguinte duvida.

    Tenho 66 anos, sou aposentado pelo inss e pelo governo do estado, recebendo mais de 10k bruto no total.

    Minha previdencia esta desde 2009, vgbl progressivo.

    Faz alguns meses comecei a me atentar mais pars isso e descobri que a previdencia rendeu, liquido, o mesmo que a poupança no periodo de 2009-2016, ou seja, destruí valor e tive prejuizo.

    Gostaria de saber se o melhor é fazer o resgate ou fazer portabilidade pars outra previdencia, mas todas que vi tem rendimentos péssimos analisando o cenario atual.

    Qual sugestão voce me da?

    • drmoney disse:

      Leonardo, muito difícil analisar sem ter detalhes sobre a sua previdência atual. Não sei se a rentabilidade é função de uma alta taxa de administração, ou se foi fruto da rentabilidade ruim dos ativos, ou uma mistura de ambos. Também precisaria entender a sua aversão a risco, e como você declara seu IR, para saber a sua alíquota de IR. Ou seja, não consigo dar sugestão em seu caso, sem conhecer mais detalhes sobre os seus investimentos e seu perfil.

  13. Emerso Paulo disse:

    Bom dia Meu caro,

    Se possível,me tire uma duvida,..Sou funcionario Federal e tenho uma Renda bruta em torno de 3,700, e Liquida de 3,100.
    Estou muito interessado em fazer uma previdência Federal e estou com duvidas se faço PGBL ou VGBL,e progressivo ou Regressivo.

    Agradeceria muito se tivesse alguma opinião sobre minha duvida

    Abraços!!!

    • drmoney disse:

      Emerso, conforme explicado no artigo, o PGBL é mais indicado para quem declara IR no formulário completo, podendo se beneficiar da postergação do recolhimento do IR. Caso você pretenda ficar aplicado mais do que 10 anos, o regime regressivo é melhor, pois a alíquota do IR cai para 10%.

  14. Claudio disse:

    Boa tarde Dr. Money. Tenho um PGBL atrelado a empresa na qual trabalho a mais de 17 anos. Neste plano a empresa também fazia contribuições mensais. Sempre contribuí sobre os 12% da minha renda. Eu fazia uma estimativa de renda para o final de cada ano e sempre consegui chegar próximo ao cálculo dos 12% Ontem aderi à um plano de demissão voluntária do qual adquiri icentivos financeiros de 19 salários, indenizações, multa sobre FGTS. Como faço para saber sobre qual valor calcular os 12% de renda para ter o benefício do IR? Obrigado e parabéns por este canal de esclarecimento.

    • drmoney disse:

      Claudio, você deve somar todos os seus rendimentos tributáveis na fonte. Informe-se no RH quais são estes rendimentos, eles devem esclarecer este ponto. Por exemplo, FGTS é isento.

  15. Patricia disse:

    Tenho remuneração bruta mensal de R$ 6.000,00 que declara meus rendimentos para o Imposto de Renda através do formulário completo procurei uma entidade aberta de
    previdência complementar no mês de janeiro para efetuar aportes mensais em VGBL
    ou PGBL. Em qual modalidade de Plano que devo efetuar em aportes? Qual o valor que devo contribuir para usufruir ao máximo dos benefícios fiscais?

    • drmoney disse:

      Patricia, se você declara pelo formulário completo, deve contribuir no PGBL até o montante de 12% de sua renda bruta. Quantias adicionais deveriam ir para o VGBL ou outra forma de investimento.

  16. Bianca disse:

    Olá, Dr. Money! Parabéns pelo blog!
    Preciso da sua ajuda: Com a pretensão de sacar o montante apenas no momento da aposentadoria (daqui há cerca de 25 anos), escolhi um plano de previdência privada quando eu era assalariada (PGBL regressivo). Hoje sou PJ e continuo fazendo aportes mensais de R$ 1.000,00. Fui orientada a parar com os aportes, já que não tenho IR retido na fonte, devendo direcionar o valor do aporte a outros investimentos mais lucrativos. Pergunta: o regime regressivo permite o saque pagando apenas 10% de IR apenas após completar 10 anos do último aporte?
    Desde já agradeço sua orientação.

    • drmoney disse:

      Bianca, o prazo para o IR é contado para cada aporte, não em relação ao último aporte. Assim, se você contribuiu durante 10 anos, os primeiros aportes terão IR de 10%, e os últimos aportes terão IR de 35%.
      Com relação aos aportes: não tem problema se você não tem IR retido na fonte. O que importa é a sua declaração anual. Se for no formulário completo, você conseguirá compensar as contribuições para o PGBL de qualquer maneira, diminuindo a sua base de tributação e, por consequência, o seu imposto a pagar.

  17. Henrique Nascimento M. Costa disse:

    Dr. Money,

    Tenho um plano de apsentadoria privada VGBL do Banco do Brasil há 2 anos. Pago R$ 500,00 mensais atualmete e tenho R$ 22.000,00 aplicados nesse plano. Ainda não tenho renda fixa, ganho bolsa de estudos do Ministério da Saúde e ainda sou isento na declaração de IR. Ano que vem vou começar a trabalhar em iniciativa privada.

    Com a expectativa de melhora da economia e queda da taxa básica de juros, pensei em aplicar em tesouro direto (NTN-B principal) e a minha dúvida é se vale a pena resgatar esse dinheiro aplicado no VGBL para o tesouro direto, considerando taxa de administração e o IR, este progressivo.

    Agradeço!

    • drmoney disse:

      Henrique, precisaria saber qual o tipo de VGBL que você aplica (DI, Renda Fixa, etc). Se for um DI, tenha consciência que uma NTN-B é muito mais arriscada, e se você precisar resgatar no curto prazo, antes do vencimento, pode até perder dinheiro. Mas, por outro lado, tende a render mais no longo prazo. Com relação ao IR, a aliquota do VGBL dependerá da sua alíquota de IRPF, pois o VGBL é progressivo. Pela sua renda, acho que você pagará menos IR no VGBL do que na NTN-B, cuja alíquota é 15%.

  18. Robson Camargo disse:

    Olá, quero uma dica, sou assalariado e o IR já é descontado na fonte, quero fazer uma previdência privada, minha declaração do IR é a simplificada.
    Neste caso qual seria a mais vantajosa PGBL ou VGBL?

    Desde já agradeço.

    Abs.

  19. Marcus Vinicius disse:

    Olá, Primeiramente excelente seu Site!
    Gostaria de uma orientação a que investimento aprofundar nas pesquisas. Tenho 28 anos e com uma renda de R$4500, gostaria de aplicar em algo para longo prazo e ter uma renda vitalicia no futuro (aposentadoria).
    Por onde eu começo?

    • drmoney disse:

      Prezado Marcus Vinícius, obrigado por visitar o meu site e parabéns pela preocupação em poupar desde cedo! Não existe uma resposta única para a sua pergunta: vai depender da sua tolerância ao risco. Como se trata de um investimento de longuíssimo prazo (uns 30 anos, no mínimo), pensaria em fazer uma carteira com títulos do Tesouro Direto de longo prazo (NTN-B) e uma carteira de ações. Você pode começar com o Bova11, que replica o Ibovespa, e quando estiver mais confortável, ações individuais. Por outro lado, se não tiver tempo para isso, você pode procurar um VGBL ou PGBL (dependendo da sua situação tributária) que tenha ações, e que tenha uma taxa de administração decente. Procure em sites como a XP ou a Rico, onde as taxas são melhores. Espero ter ajudado!

  20. Nunes disse:

    Dr. Money, Bom dia!

    Gostaria de um suporte em relação a situação atual que me encontro, segue abaixo:

    Tenho um plano de previdência privada PGBL, na qual o rendimento encontra-se em R$ 8.761,54. tem 5 anos que fiz o plano, e minha meta é retirar esse dinheiro antes de 10 anos. Qual a melhor sugestão, permanecer em PGBL ou mudar o plano para VGBL?

    Grato!

  21. Martins disse:

    Dr. Money,
    Trabalho em uma empresa ganhando R$15 ao mes e gostaria de saber qual melhor aplicação (VGBL ou PGBL). No último ano fiz a simplificada, porém, já houveram situações que a completa foi mais vantajosa para não ter que pagar IR. Considerando que a previdencia visa o futuro e que entendo que futuramente terei dependentes (filhos) e possivelmente poderia passar a completa + of fato que hoje a empresa faz um bom match. O que devo optar VG ou PG? E neste caso compensa mais a regressiva ou progressiva?

    • drmoney disse:

      Prezado Martins, muito difícil responder sem estudar mais a fundo a sua situação. Se quiser, entre em contato pelo formulário de contato no blog.

  22. mario disse:

    Olá, tenho 34 anos e recebo 6000 reais mensais , faço IR completa, tenho 2 dependentes e gastos com planos de saude 800 mensais. A questão é que fui ao banco buscar informação sobre o PGBL e VGBL, a gerente disse para eu fazer o VGBL REGRESSIVO. Na sua opnião qual seria o melhor para mim?

    • drmoney disse:

      Mario, se você não pretende resgatar nos próximos 10 anos, o melhor é ir para um PGBL, até o limite de 12% de sua renda. Mas não aceite taxas de carregamento muito altas.

  23. José Carlos disse:

    Tenho um PGBL no valo de R$ 54.000,00 Reais com data final em 2022 onde completo 65 anos. Qual mais vantajoso aumentar o aporte deste plano ou contratar um VGBL ?
    Na data contratada do PGBL, pagarei IR, caso solicite o resgate total?

  24. Paulo disse:

    Dr money, boa noite. O meu caso é o seguinte, eu ganho anualmente cerca de R$ 60.000,00. Ao conversar com meu gerente, ele me indicou o melhor e mais rentável plano PGBL do banco do Brasil, me isentando de taxas etc caso eu fizesse um aporte inicial considerável. Estou fazendo aportes mensais de R$ 2.000,00. Meu interesse é a longo prazo, mas após 10 anos gostaria de efetuar resgates pontuais para compra de carros, casas, etc. A minha dúvida é: me parece que estou investindo mais de 12% do meu capital recebido anualmente em tal fundo. Isso é ruim? Deveria investir menos no PGBL e ter outro fundo de VGBL paralelo? A rentabilidade está muito boa e eu estou confuso. Agradeço demais pela ajuda e espero nao ter feito um mau negócio. Respeitosamente, Paulo Dalla.

    • drmoney disse:

      Sim Paulo, investir mais de 12% da sua renda anual no PGBL é muito ruim, você está perdendo dinheiro. O ideal é limitar o aporte no PGBL a 12% da sua renda anual, e procurar outra aplicação para o restante.

  25. carlos alberto da silva disse:

    Fiz uma aplicação no vgbl no banco do brasil julho de 2015,rendeu um bom dinheiro,seria melhor continuar no vgbl,ou aplicar lci,lca?

  26. Karina disse:

    Boa noite Dr. Money.
    Minha empresa esta oferecendo um plano empresarial do bradesco do tipo PGBL onde a minha contribuiçao seria de 4% e da empresa mais 4% do meu salario que será de 6.789,66.
    Os tipos de planos são:
    F10 – 100% renda fixa;
    V15/15 – 85% RF/ 15% RV
    V30/15 – 70% RF/ 30% RV
    V40/15 – 60% RF/ 40% RV

    A taxa de adm. é de 1% a.a na Renda Fixa e de 1,5% a.a na Renda Variável e é 0% a taxa de carregamento.
    Tenho também a opção de escolher entre o regime progressivo e o regressivo do benefício.

    Qual tipo de plano nesse caso é melhor para eu escolher?
    Obrigada!

    • drmoney disse:

      Prezada Karina, não tem um “melhor” plano. Via de regra, o nível de risco do plano deve ser proporcional à sua idade e à sua tolerância ao risco. Quanto mais jovem você for, mais arriscado pode ser o plano. Por outro lado, se você é daquelas que olha para o seu saldo todo mês, e fica desesperada porque perdeu dinheiro em um determinado mês, o seu plano deve ser mais conservador. A escolha do “melhor” plano deve ser uma combinação destas duas variáveis.

  27. Edinaldo Junior disse:

    Olá,

    Fiz a contratação do meu plano de previdência VGBL em 04/02/2004 com previsão de término em 02/02/2037. Na época, como fazia imposto simplificado era a melhor solução. Hoje, fazendo imposto de renda completo e contribuindo para o INSS, parece que a situação ficaria melhor com uma PGBL, no entanto, minha dúvida é se vale a pena abrir uma nova (PGBL), sacar o total da VGBL e fazer um aporte inicial na nova PGBL, pois de cara o imposto de renda vai comer quase R$1.100,00 reais.

    Atualmente possuo quase R$27.000,00, daí estou na dúvida se é melhor abrir uma nova e ficar com duas, migrar (bancando as despesas) ou deixar como está.

    Obrigado!

    • drmoney disse:

      Prezado Edinaldo, se este VGBL é regressivo, já está com alíquota mínima (10%). Se for progressivo, tanto faz o prazo de seu resgate, a alíquota de IR será a mesma. Por outro lado, parece ser melhor resgatar (até o montante de 12% de sua renda) e aplicar em um PGBL regressivo, pois você consegue postergar o seu IR e diminuir a alíquota ao longo dos próximos 10 anos.

  28. Eliú disse:

    Tenho um VGBL com saldo de R$ 9.717,84 e com os rendimentos chega ao montante de R$ 14.283,27. O meu salário bruto é de R$ 7.500,00 mensais, e eu declaro o imposto de renda pelo formulário completo. O prazo para recebimento da renda desse plano começa em setembro de 2021 (renda mensal vitalícia revertida a beneficiário). Estive pensando em investir um pouco mais nesse mesmo VGBL e escolhi esse tipo de plano porque, pensei em receber renda no futuro com menor imposto de renda mensalmente, porém, após ler suas dicas, percebi que pode, não ser tanta vantagem assim. Minha pergunta é a seguinte:
    1 – Seria vantajoso eu passar um certo do valor do saldo do VGBL fazendo resgate e aplicando num PGBL, de forma a ficar com os dois planos ao mesmo tempo, e assim, deduzir até 12% do PGBL no imposto de renda da declaração anual?
    2 – Acho que migração de um plano para o outro não existe, mas e se eu resgatar o saldo total do VGBL e aplicasse em um PGBL, seria vantajoso?

    • drmoney disse:

      Prezado Eliú, vale a pena sim! Mas cuidado: ao resgatar do VGBL, este montante não representa renda e, portanto, não pode compor com a sua renda para efeito do cálculo dos 12%. Portanto, você deve resgatar somente até os 12% de sua renda, para transferir para o PGBL. Ah, e não esqueça de escolher um plano com imposto regressivo.

  29. Mauricio disse:

    Olá,
    Minha empresa está oferecendo um plano de previdência onde contribuo com 2% do meu salário e eles contribuem com 100% da minha contribuição. Atualmente meu salário é R$10.766,00 e declaro IR simplifcado, pois acabo restituindo cerca de R$2.000,00 (enquanto na completa teria que pagar IR, já que não tenho praticamente despesas nem dependentes).
    Considerando que não pretendo investir além dos 2% do salário nesta previdência privada, uma vez que tenho outros investimentos de longo prazo para esta finalidade, qual seria a modalidade recomendada?
    Obrigado!

    • drmoney disse:

      Prezado Maurício, não ficou claro quais são as modalidades oferecidas pela empresa. De qualquer forma, se a empresa faz o matching de 100%, você deveria aplicar o máximo possível (até o teto do matching da empresa) nesta previdência privada, pois não há investimento no mundo que dobre o seu capital imediatamente, como este.

  30. Nathalia disse:

    Primeiramente parabéns pelo site!!!
    sou completamente leiga, mas procuro investimentos melhores que a poupança, afinal não podemos deixar o dinheiro parado.
    Fiz o VGBL este ano. o meu primeiro aporte foi de 20 mil. tenho a intenção de fazer aportes mensais de 300 reias durante uns 6 anos. fiz o investimento certo ou devo esperar mais tempo para poder retirar?
    é válido fazer esses aportes mensais para o vgbl ou deveria aplicar na poupança e manter apenas o primeiro aporte de 20 mil aplicado??
    Aguardo seus comentários!
    Obrigada!!

    • drmoney disse:

      Prezada Nathalia, fica difícil dar uma resposta sem saber que tipo de VGBL você aplicou, a sua taxa de administração e carregamento e a sua carteira de títulos. Normalmente, o VGBL apresenta rentabilidade melhor, mas, dependendo da taxa de administração, pode ser um mal negócio, mesmo comparado com a poupança.

  31. quero aplicar r$ 500.000,00 disse:

    qual aplicação sem prazo melhor me rentabiliza? v

  32. Fabricio disse:

    Fiz hoje o VGBL, embora a minha declaração seja completa, tem algum problema? Fiz esta opção, porque a previdência é para meu filho de 3 anos e optei por me sacrificar com o fisco agora, não ter a possibilidade de deduzir até 12%, mas, quando ele resgatar com 21 anos, incida a alíquota só sobre o rendimento. Agi certo?

    • drmoney disse:

      Não, Fabrício. Você deveria ter aplicado em um PGBL, e ter economizado também o IR poupado na declaração. Assim, ao resgatar lá na frente, você devolveria ao seu filho os 10% do IR, e ficaria com a diferença (sua alíquota de IR menos 10%). Uma outra forma de fazer isso seria aplicar 10% a mais agora, e economizar a sua alíquota de IR na sua declaração. Ganharia, neste exemplo, a diferença entre a sua alíquota e os 10%.
      Vamos a um exemplo numérico: digamos que sua renda seja de R$ 100 mil/ano, e sua alíquota seja de 15%. Se você aplicar R$ 12 mil no VGBL, seu IR será de R$ 15 mil (15% sobre R$ 100 mil). Se você aplicar R$ 12 mil no PGBL, seu IR será de 15% x R$ R$88 mil = R$ 13,2 mil. Você terá economizado R$ 15 mil menos R$ 13,2 mil = R$ 1,8 mil. Você pega R$ 1,2 mil (10% a mais) e aplica no VGBL, e fica com R$ 600 no seu bolso.

  33. Andre disse:

    Boa noite, tenho 40anos não tenho carteira assinada e pretendo contratar plano fazendo uma contribuição mensal de R$ 500,00. Pelo que entendi o VGBL é o mais indicado pretendo resgatá-lo com 65Anos. Minha dúvida é se eu morrer antes minha esposa recebe o meu investimento ou perco tudo? E se a morte ocorrer após os 65anos ela como minha dependente Continua a receber o benefício?

    André Luís

    • drmoney disse:

      André, sua esposa recebe o saldo do seu VGBL assim como todos os outros bens, a não ser que você nomeie outro beneficiário. Neste caso, não há cobrança de imposto sobre herança. Para saber se sua esposa continua recebendo o benefício, seria necessário conhecer as cláusulas do plano contratado. Procure o canal de atendimento de previdência no banco onde você realizou o investimento.

  34. Thiago disse:

    Boa noite.
    Interessante o post.
    Tenho 30 anos. Tenho 4500 reais por mês para poupar para aposentadoria. Gostaria de contar com esse dinheiro aos 55 anos.
    Os gerentes tentam empurrar pgbl, vgbl, fundos…
    Tenho propensão a investir em tesouro direto.
    Mas o país está se endividando.
    Mesmo o touro sendo soberano, a selic estando nas alturas tenho medo do tesouro.
    Que outra(s) opções possuo?
    Obrigado.

    • drmoney disse:

      Thiago, você pode investir em LCAs ou CDBs ou ações ou Fundos Imobiliários etc. São muitas opções, além do PGBL, VGBL, Fundos, TD, que também são opções interessantes, dependendo do sua situação particular. Para lhe dar uma orientação mais específica, necessitaria de mais informações a seu respeito.

  35. Edson disse:

    Olá

    Em dezembro de 2015 fiz um plano de previdencia VGBL Maxi. Iniciei a aplicação com R$250,00 e contribuo com R$50,00 por Mês.
    Tenho 28 anos e pretendo resgata-lo quando tiver com 65 anos.

    O vgbl no meu caso é compensatório ? ou é melhor mudar de plano?

    Desde já agradeço.

  36. Osvaldo Matias Irsten disse:

    Olá Dr. Money, poderia esclarecer-me uma dúvida, por favor?

    Acabei de me aposentar e consegui juntar um patrimônio de 500 mil para complemento de renda, que estão aplicados com rendimento em torno de 11% ao ano.
    Pretendo retirar até 20 mil por ano sendo que, preciso corrigir pela inflação para não perder o poder de compra.
    Minha dúvida é: Quanto tempo vai durar esse dinheiro?

    Grato pela atenção,
    Osvaldo.

    • drmoney disse:

      Prezado Osvaldo, 20 mil sobre 500 mil equivale a 4% do seu patrimônio. Se o rendimento é de 11% ao ano DEPOIS DE IMPOSTOS E TAXAS, a inflação deve ser menor que 7% ao ano para que o dinheiro nunca acabe. Se a inflação for, por exemplo, de 8% ao ano, o dinheiro duraria 29 anos (série de pagamentos iguais com taxa constante). A premissa usada sobre a taxa de juros real (depois da inflação) é o mais importante para responder à sua questão.

  37. Jeferson disse:

    Gostaria de saber sua opinião:
    Sou funcionário público federal, tenho 53 anos. Tenho um plano BrasilPrev PGBL, atualmente com 100mil. Tenho economizado para aplicar aproximadamente 800reais mensalmente neste plano.
    Não seria mais vantajoso um plano VGBL, pensando na “mordida do leão” no momento que pretendo sacar o montante, aos 70 anos ?
    Qual seria outra aplicação, pensando na aposentaria ?

    • drmoney disse:

      Jeferson, como indicado no artigo, o PGBL é o mais indicado (até 12% da sua renda) se você faz sua declaradção anual do IR pelo formulário completo. Neste caso, você posterga o pagamento do IR para a data do resgate e, se optar pelo regime regressivo, pode ter um desconto substancial na alíquota do IR. O que exceder 12% da renda, vai para o VGBL. Caso você declare IR no formulário simples, ou seja isento, o mais indicado é o VGBL.

  38. Fabiano Freitas disse:

    Parabéns pela postagem. Com exemplos da maneira que foi colocado fica tudo mais fácil de entender.

  39. Leandro Correa disse:

    Olá, meu sogro tem uma aplicação em Plano de Previdência feita a vinte anos atrás, e me pediu orientação. Ele quer resgatar o saldo que hoje é de R$ 55.000,00 mas não se lembra se é PGBL ou VGBL.
    Neste caso, qual seriam os valores de imposto de renda a ser descontado pelo PGBL e VGBL?
    Desde já agradeço e parabéns pelo site.
    Abs
    Leandro

    • drmoney disse:

      Leandro, o IR do PGBL incide sobre todo o montante aplicado, enquanto o IR do VGBL incide somente sobre os rendimentos. Digamos que a alíquota de IR seja de 10% em ambos os casos. Assim, por exemplo, se o seu sogro aplicou R$ 20.000 e hoje tem R$ 55.000, no PGBL o IR seria de 10% sobre R$ 55.000, ou R$ 5.500, enquanto que no caso do VGBL, o IR seria de 10% sobre o rendimento de R$ 35.000, ou R$ 3.500.

  40. Ivone disse:

    Faço um VGBL JUNIOR no Brasilprev do Banco do Brasil desde 2008.Gostaria de saber se é mais rentável que a poupança e neste caso específico se seria vantajoso ou não trocar de investimento para a Poupança.Para começar a investir Cr$ 200,00 mensais para outro neto, o que você recomenda: poupança ou VGBL JUNIOR, uma vez que considero estas duas aplicações mais cômodas para eu fazer.

  41. Marcia disse:

    Boa tarde!

    Fiz uma simulação conforme as orientações do post, e no final o PGBL me parece mais vantajoso. Minha dúvida é : sendo a minha declaração de IR no formulário simples, eu consigo recuperar o que foi retido ou o PGBL é só no caso de declaração completa?
    No PGBL consigo abater o valor direto na fonte?
    Obrigada.

    • drmoney disse:

      Marcia, só vale a pena investir no PGBL se você declarar com o formulário completo. Você até consegue abater direto na fonte, se o seu empregador deduzir de seu contracheque e aplicar em um PGBL, mas você vai precisar devolver o dinheiro deduzido na hora da declaração anual se optar pelo formulário simples, pois neste formulário você não consegue abater despesas da sua base de cálculo.

  42. Ney Mauro disse:

    Boa tarde Dr. Money…
    Gostaria de saber qual a melhor aplicação e de que forma utilizo os R$ 50.000,00 que tenho na poupança? Sou assalariado e tenho uma renda anual de 53.000,00. Faço declaração de Imposto de Renda no modelo completo e tenho restituição positiva.

    • drmoney disse:

      Ney, difícil fazer uma análise sem conhecer detalhes da sua vida. Não sei para que você quer usar esse dinheiro, nem as opções que você tem no seu banco. Em princípio, uma aplicação em LFTs no Tesouro Direto rende mais que a poupança, assim como um Fundo DI com taxa razoável (abaixo de 2%) no seu banco. Outra opção é o PGBL (também com taxa razoável e sem taxa de carregamento), no limite de 12% da sua renda. Enfim, são várias as opções, mas não consigo passar muito daqui sem conhecer melhor suas necessidades.

  43. Felipe disse:

    Oi Dr Money, bom dia!

    Muito bom o seu texto e suas explicações. 🙂

    Tenho uma dúvida em relação ao PGBL. Algumas pessoas já me indicaram este tipo de investimento, porém eu não sei como funciona direito em relação a ser dedutível da base de incidência do imposto de renda.

    No meu caso, eu sou trabalhador CLT e todo o meu IR é retido diretamente na fonte. Por isso, eu não realizo nenhum novo pagamento deste valor para o governo. Ainda assim, é possível recuperar uma parte do valor que foi retido na fonte? Como funciona para ressarcir esta quantia e aplicá-la no PGBL?

    A segunda dúvida, é em relação ao investimento mensal. Eu gostaria de investir uma pequena quantia de R$ 100 mensalmente. Você considera o PGBL a melhor opção para isto?

    Muito obrigado,
    Felipe

    • drmoney disse:

      Felipe, você só recupera o valor pago da fonte se fizer a declaração anual do IR no formulário completo. Neste momento, você declara quanto você recebeu de renda, quanto pagou de IR na fonte, e quanto contribuiu para o PGBL, que será deduzido da sua renda, resultando em uma restituição.
      Com relação à sua segunda questão, eu precisaria conhecer melhor as suas circusntâncias para lhe dar uma orientação melhor.

  44. Mara Kerley Moura disse:

    Olá Dr. Money,

    Gostaria de uma orientação: Tenho um filho de 7 anos e quero poupar por exemplo R$ 100,00 por mês ao longo de 12 anos(momento em que ele entra na faculdade e esse dinheiro pode auxilia-lo na compra de um carro ou amortizar os custos com faculdade ou despesas relacionadas a isso), poupança seria uma boa opção? ou alguma plano de previdência? Eu não declaro imposto de renda e pretendo ser a responsável pelo plano.

    Desde já, agradeço

    Mara Moura

  45. Susy disse:

    Bom dia! E parabéns pelas explicações tão claras! Defini com elas qual o melhor planos, mas agora fiquei com uma dúvida:
    Vou fazer um plano de previdência para minha filha que hoje tem 15 anos. Pretendo que ela pense em usar somente daqui uns 30 anos…. Como sou eu que estarei fazendo os depósito, eles serão dedutíveis da minha declaração? Se sim, só enquanto ela for minha dependente ? Mesmo que eu continue a pagar “eternamente” ? (rs)

    Agradeço muito seu retorno,
    Abraços

    • drmoney disse:

      Olá Susy, tudo bem? Em primeiro lugar, parabéns por pensar a longo prazo. Quando você declara a sua contribuição para o PGBL, você precisa informar se a contribuição foi para o titular ou para o dependente. Portanto, se não foi para nenhum dos dois, não é possível lançar esta contribuição na sua declaração. Uma maneira de manter a dedução é fazer o PGBL no seu nome, mas aí não sei se este é o objetivo.

      Susy, permita-me ampliar o escopo de minha resposta: às vezes, estamos muito focados em uma determinada solução financeira, quando deveríamos considerar muitas outras variáveis de nossas vidas na tomada dessa decisão. Será que estamos poupando tudo o que é necessário? Será que não estamos poupando demais? Será que o produto onde estamos investindo é o melhor possível para os nossos objetivos? Será que estamos com os objetivos corretos, aqueles que nos tornarão a melhor versão daquilo que podemos ser? É por isso que, para alguns casos, um Planejador Financeiro Pessoal pode ser bastante útil. Se você quiser, escreva-me em drmoney@drmoney.com.br, e posso lhe fazer uma apresentação de como um Planejador Financeiro Pessoal pode lhe ser útil.

  46. Fernando Gomes Pereira disse:

    Olá !!
    Em primeiro lugar, parabéns pela matéria, muito boa a explicação !
    Gostaria que me ajudasse a entender a minha aplicação e se eu fiz a coisa certa, e tirar uma dúvida em relação resgate que pretendo fazer para o meio do ano que vem !
    Fiz uma Aplicação no VGBL Apliquei a exatamente a 1 ano atrás, mês Julho $ 5000,00 Mil Reais com uma renda fixa de 200,00 mais 15,00 de contribuição, totalizando 215,00 debitado em conta. E sou isento na taxa de carregamento.
    hoje exatamente tenho 7,831,85, gostaria de saber se fiz a coisa certa e se está me rendendo o esperado.
    E minha outra duvida, seria sobre o resgate que pretendo fazer o ano que vem.
    A cada 3 anos eu troco de veículo, não por luxo e sim por necessidade, porque sou vendedor e necessito. Pela minhas contas eu dando o meu veículo de entrada, mais esse dinheiro que tenho aplicado, consigo comprar o carro praticamente a vista !
    Penso eu, que seria um bom negócio resgatar para essa utilidade, porque se eu não fizer isso, terei que comprar o carro parcelado, e ai já viu né, é JUROS na certa. Tu acha que minha lógica de resgatar para não pagar o JUROS da financeira seria uma boa ? Obrigado Fernando !

    • drmoney disse:

      Fernando, se foram R$ 5.000 + 11 parcelas de R$ 215, o seu rendimento foi de 0,68% ao mês, o que não está mal, dado o montante aplicado.
      Com relação à sua segunda questão, sim, vale a pena pagar à vista: os juros que você recebe da aplicação certamente são menores que os juros cobrados no financiamento.

      • Max disse:

        Dr Money, Bom dia!
        Não entendi!
        Se o Fernando investiu R$: 5.000,00 +
        11 * R$: 215,00 = R$ 2.365,00
        então ele investiu um total de R$: 7.365,00.
        Hoje ele tem um montante de R$7.831,85 ,
        ou seja, um lucro de R$ 466,65
        que dividido pelo valor investido
        466,65/7365,00 teremos um retorno de 6,34%
        foi mesmo um bom investimento?

        • drmoney disse:

          Max, não é esta a conta a ser feita. Você precisa aplicar a taxa de juros em cada parcela paga, e não somente sobre o total que você pagou. Para isso, é preciso uma planilha em Excel, ou uma calculadora financeira.

  47. Marcos disse:

    boa noite, fiz a opção por VGBL no montante de R$ 200,00 mensais para meu filho de 07 anos e o mesmo valor para minha esposa, observando que meu filho já tinha R$ 5000, 00 em outro fundo e fiz a portabilidade, essa opção foi para dar uma renda complementar para ambos em sua, digamos aposentadoria, é uma boa opção de investimento para esse valor.

    • drmoney disse:

      Prezado Marcos, para responder precisaria conhecer mais detalhes: qual a taxa de administração desses produtos, qual o regime tributário do produto, qual a sua situação tributária, qual a sua situação financeira.

  48. Livia disse:

    Fiz um plano de previdência privada e estou com 30 anos. Tenho pesquisado bastante sobre o assunto e vi várias críticas à esses planos devido às altas taxas de manutenção e outras. Muitos recomendavam investir em títulos do Tesouro ou na bolsa de valores. Porém, eu não tenho conhecimento desses tipos de aplicação e tenho a impressão de que demandam atenção constante para não perder dinheiro em aplicações que eventualmente desvalorizem. Para leigos no mercado financeiro como eu, os planos de previdência privada não poderiam ser s melhor opção mesmo com as taxas cobradas?

    • drmoney disse:

      Livia, cada caso é um caso. Sou contra satanizar qualquer tipo de aplicação financeira. Cada uma tem a sua função, e cada investidor sabe onde o seu calo aperta. No seu caso, você dá valor à facilidade de aplicar nos PGBLs, e está disposta a pagar mais por isso. É uma decisão defensável. Você não está perdendo dinheiro, está pagando a mais pelo conforto de ter uma aplicação mais simples. No entanto, isso não isenta o investidor de, uma vez escolhido o PGBL, procurar pelo de menor taxa de administração possível. Pois o mesmo serviço pode custar menos no banco ao lado. Boa sorte!

  49. Lucas disse:

    Boa tarde amigo, me tira uma dúvida por favor..

    Tenho um VGBL há 8 meses e aplico 500 por mes.. meu salario bruto gira em torno de R$ 3.700,00

    Tenho gastos de 1.000 reais com faculdade e mais 1.000 com um carro que comprei…. esse ano o total do meu rendimento deu 45 mil e o imposto sobre a renda retido na fonte deu 1.800,00 ..

    Fiz um aporte para o VGBL e fiquei com 15.000 até esse mes, porém quero sacar 10.000 para investir em outra coisa… o que sobrar é melhor eu optar pelo PGBL?

    • drmoney disse:

      Lucas, em primeiro lugar parabéns pelo esforço por poupar. É um hábito do qual você não se arrependerá.
      A resposta: a sua alíquota de IR é de 4% (1.800 sobre 45.000). Portanto, para começo de conversa, não compensa aplicar em um PGBL em regime regressivo, pois a menor alíquota que você vai pagar é de 10%, e só daqui a 10 anos. Ou seja, você deixa de pagar 4% hoje para pagar 10% ou mais no futuro. Portanto, se for para aplicar em PGBL, precisa ser no regime progressivo. Neste caso, esta é a melhor opção somente para até 12% de sua renda bruta, no caso R$ 5.400. Você vai deixar de pagar 4% hoje para pagar 4% no futuro. Mas isso somente se você resgatar por mês exatamente o que você está aplicando hoje. Se você resgatar tudo de uma vez, a sua alíquota será maior, pois o montante resgatado somará com a sua renda na época do resgate.
      Para fazer um exercício mais completo, veja o meu post http://www.drmoney.com.br/investimentos/renda-fixa/fundos-x-tesouro-direto-x-vgbl-o-que-e-melhor/

  50. mariana disse:

    Gostaria de saber se o numerário e os rendimentos que formam um Plano de Previdência Privada Complementar, tipo PGBL,podem ser considerado um bem do participante titular.

    • drmoney disse:

      Mariana, o saldo do PGBL não é considerado um bem para fins de IR. Você somente vai declarar os resgates como rendimentos, no ano em que ocorrerem.

  51. Mariana disse:

    Gostaria de saber se o saldo e rendimentos de uma Previdência Privada Complementar iniciada por empresa empregadora é passível de partilha em caso de separação de um casal, sob o regime de comunhão parcial de bens.

  52. teresa disse:

    Solicito uma orientação sobre a possibilidade de o numerário e os rendimentos existentes em um Plano de Previdência Privada Empresarial Complementar, tipo PGBL, serem incluídos no rol de bens de um casal sob o regime de comunhão parcial de bens em caso de divórcio.
    Consto como beneficiária. Em caso de divórcio , antes da homologação do mesmo, existe a possibilidade de haver uma troca em relação a esta condição?

  53. Valeria disse:

    Olá, Tenho 46 anos e um plano de previdência PGBL desde do ano de 2000 com um valor acumulado de R$ 93.000,00, taxa administrativa 3%, rentabilidade atual de 8% e renda vitalícia.
    Lendo sempre os seus comentários, entrei em contato com o banco para solicitar uma portabilidade para um outro plano com um taxa adm menor. O gerente me indicou um outro PGBL com taxa administrativa de 1% , Renda fixa moderada, rentabilidade anual 10,45%. No entanto, esse plano é renda por prazo certo.

    O que é mais vantajoso continuar com o plano atual com renda vitalícia e taxa alta ou troca para o renda por prazo certo com taxa mais baixa?

    Obrigada,
    Valéria

    • drmoney disse:

      Valéria, em princípio o tamanho da taxa não deveria ter nada a ver com o tipo de benefício que você vai ter lá na frente. A não ser que o banco não venda mais planos vitalícios, o que pode de fato estar acontecendo.
      É difícil te dar uma resposta objetiva ser ver os detalhes dos contratos. Em princípio, a taxa menor é melhor (2% ao ano, ao longo dos anos, faz uma baita diferença). O plano com renda fixa moderada também é melhor, pois você é jovem e ainda está distante de se aposentar. Aparentemente, a troca parece vantajosa, mas não consigo dizer com certeza, pois, como disse, não tenho detalhes sobre os contratos.

  54. marcelo reis disse:

    Vale a pena resgatar um PGBL de 12 anos e aplicar num fundo DI ou outra aplicação ?

  55. marcelo reis disse:

    minha mãe com 90 anos tem um PGBL no BB já há mais de 12 anos com aproximadamente 270.000,00, o gerente está sugerindo que transfira para o VGBL pois a rentabilidade é maior ??? ela não tem mais abatido os 12% do IR permitido…e tem somente um beneficiário.
    pergunta: na morte dela o beneficiário fica com uma renda mensal vitalícia e se sacar paga 15 % de IR. No caso da morte do beneficiário o que acontece ?

    • drmoney disse:

      Marcelo, vejamos as suas três questões

      1) Resgatar do PGBL para aplicar no VGBL significa pagar um IR de 10% sobre o montante total, e depois pagar a alíquota de 35% sobre os rendimentos do VGBL (o PGBL não tem IR sobre os rendimentos). Para que isso valha a pena, é preciso que o VGBL tenha um rendimento 54% maior do que o PGBL. A conta é simples: digamos que você tenha um PGBL e um VGBL que rendem a mesma coisa antes da cobrança do imposto. Por exemplo, 1% ao mês. O retorno depois do imposto será o seguinte:
      PGBL: 1%
      VGBL: 1% – 35%*1% = 0,65%
      Para que o VGBL renda a mesma coisa, é preciso que renda bruto, antes da cobrança de IR, o seguinte: 1%/(1-35%) = 1,54%
      Teríamos então a rentabilidade líquida do VGBL: 1,54% – 35%*1,54% = 1%
      Parece um pouco difícil que o VGBL tenha rentabilidade 54% maior que o PGBL.

      2) A mesma questão se aplica a um fundo DI ou qualquer outro tipo de aplicação que tenha IR sobre os rendimentos. A diferença está só na alíquota, no caso do Fundo DI é de 22,5% nos primeiros 6 meses.

      3) No caso da morte do beneficiário, o benefício cessa.

  56. Wallace disse:

    Primeiro gostaria de parabenizá-lo pelo post! Bem didático! Escrito de uma forma clara e numa linguagem acessível até mesmo aos leigos no assunto, ao mesmo tempo que é bem informativo sem perder a objetividade! Muito bom!
    Pretendo investir um valor aproximado de R$1.500,00 mensalmente (por no mínimo 2 anos) referente a uma bolsa de estudos que receberei (e que não é tributável pelo IR). Devo pressupor então, que o melhor investí-la no VGBL?

    • drmoney disse:

      Wallace, entendo, pelas suas informações, que a sua bolsa será sua única renda, e não será tributada pelo IR. Dessa forma, entre VGBL e PGBL, o melhor é o VGBL, pois você não tem base de incidência de imposto para compensar o imposto cobrado pelo PGBL. Mas não se atenha somente a essas duas formas de investimento! Pesquise outras alternativas, como fundos normais de investimento ou o próprio Tesouro Direto. Dependendo da taxa de administração do VGBL, talvez valha mais a pena essas outras formas.

      • Wallace disse:

        Na verdade, essa Bolsa de Estudos não é a minha única fonte de renda. Ela representa, aproximadamente, 20% da minha renda. O que ocorre é que por ser um Bolsa de Estudos não é tributada pelo Imposto de Renda. Pago de Imposto de Renda, pelo Formulário Completo, a mesma coisa que pagava antes de receber essa Bolsa. Por esse motivo pensei em investí-la integralmente no VGBL. Estou pensando de maneira correta?

  57. Vinicius disse:

    Ótimo texto!
    Invisto mais que 12%, mas sou assalariado.
    Assim, pretendo investir 12% no PGBL e o restante em outras modalidades.

  58. Juliana disse:

    Comecei a trabalhar em julho. Ganho 5624,00 por mês, mas tendo em vista que só trabalhei seis meses nesse ano, minha renda foi de 36556 (incluindo metade do 13o). Tenho cinco mil para colocar em previdência privada. Nesse caso, tendo em vista que os 5000 passam dos 12% da renda total desse ano, entendo que o melhor é vgbl, certo?

  59. suely disse:

    Quero fazer render um valor que consegui juntar neste mês (mil reais), quero um investimento a curto prazo. Onde devo investir?

  60. Sueli da Silva disse:

    Tenho um VGBL onde está aplicado um valor acima dos 12% da minha renda bruta. Estou perdendo dinheiro. Se resgatar do VGBL o equivalente aos 12% de minha renda bruta e aplicar no PGBL eu posso já deduzir na minha próxima declaração anual de IR?

    • drmoney disse:

      Sueli, a regra geral é a seguinte: até 12% da sua renda bruta você deve investir no PGBL, e o excedente no VGBL. Portanto, sim, você deveria migrar do VGBL para o PGBL o montante de 12% da sua renda bruta, e você vai poder deduzir na sua próxima declaração anual de IR. Mas, cuidado com as taxas de carregamento: negocie com o seu banco para isentá-lo, já que você estará apenas migrando de modalidade.

  61. Milton disse:

    Parabéns pelo site, eu acompanho e admiro a forma que você explica. Poucos respondem as dúvidas dos seus internautas e você é um deles. Parabéns novamente.

  62. Simone disse:

    Quero fazer um investimento de R$75mil e nao pretendo mexer neste dinheiro a curto prazo pois estou morando no exterior. O banco me sugeriu o VGBL, teria outra sugestao. Obrigada!

  63. Tiago disse:

    Cara, tenho 28 anos, ganho 5 mil por mes, bruto, da uns 4500 para o cálculo do imposto de renda. Praticamente todo meu dinheiro consigo guardar, e faço a declaração simples por não possuir despesas escolares ou médicas, o que me suguerem, pelo que eu pesquisei o vgbl é melhor é isso mesmo?

  64. Rodrigo disse:

    Ola,

    Tenho 29 anos e uma renda bruta de 4 mil reais, pretendo iniciar um plano de previdência, no momento pretendo iniciar com pagamentos com cerca de 5% dessa renda = 200 reais, nos meus ultimos ano tenho feito declaração simplificada, pois ganhava um pouco menos que o salário atual, mais acredito que este ano ou passar a usar a completa, pois já estou juntando diversos recibos para utilizar. Creio tb que a minha renda deve aumentar um pouco nos próximos anos, devo ir de PGBL ou VGBL?

    • drmoney disse:

      Se você for para declaração completa, então o melhor é o PGBL, até 12% da sua renda bruta, pois você vai conseguir deduzir as contribuições da sua base de cálculo.

  65. cesar perusso disse:

    Texto didático. Parabéns.Tomo a liberdade de pedir duas orientações. Tenho um PGBL , inicialmente progressivo, repassado para o regressivo, há mais de 4 anos, na faixa dos 25% de IR.. Meu filho é o único beneficiário. Quando eu falecer ele terá alguma redução automática de alíquotas ,com passagem para faixas menores de IR? Segunda: na portabilidade a idade de ingresso é a atual ou aquela em que a aplicação se deu?
    Muito grato.

    • drmoney disse:

      César, a resposta para ambas as questões é a mesma: a alíquota depende do tempo que se passa desde a aplicação, independentemente de passar a outro por herança ou se feita a portabilidade. Abraço!

  66. Eliana Costa disse:

    Sou assalariada do governo do ES. A dedução para IR é pequena. Tenho 26 anos de contribuição INSS. Ou seja, aposentarei daqui a 4 anos. Estou há 4 anos na atual empresa e contribuo com 7% do meu salário para um plano de aposentadoria, e a empresa contribui com mais 7%. Quando eu sair daqui a 4 anos, não poderei sacar o valor; mas poderei transferir para outro plano de aposentadoria privado. A DÚVIDA E: Qual plano é melhor pra eu fazer agora? VGBL ou PGBL?
    Grata,
    Eliana

    • drmoney disse:

      Eliana, se você tem até 12% disponível da sua renda para contribuição para um plano de previdência, o indicado é o PGBL. Para contribuições acima deste montante (12% da sua renda), o indicado é o VGBL. Até onde entendi, você quer abrir um plano agora, para receber o dinheiro da sua aposentadoria lá na frente. Se as contribuições deste plano agora forem menores que 5% da sua renda (que somados aos 7% que você já contribuem dão 12%), então o melhor é o PGBL. Para aportes adicionais, o melhor é o VGBL.

  67. Mara disse:

    Estou indo morar fora do país e não irei mais reclamar imposto de renda aqui, porém pretendo pagar uma Previdência. Neste caso, a VGBL é a mais indicada?

  68. Oswaldo neri pacheco disse:

    Pgbl e vgblxpoupança?

  69. Fernando disse:

    tenho um VGBL e aplico mais de 12% da minha renda bruta. Estou perdendo $ por invest. só no VGBL?
    É possivel fazer portabilidade para o PGBL?

  70. Gilberto Junior disse:

    Obrigado pela dica!

  71. Ganhando Muito disse:

    Muito bom.

    Estou pensando em fazer um VGBL da Icatu.

  72. Tamara Luiza Vieira da Silva disse:

    Gostei muito das informações deste artigo, gostaria de saber(complementando) os lançamentos quando do lançameto nas Declarações do Imposto de renda.
    Muito obrigada, desde já

  73. Anonymous disse:

    Parabens pelo post!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.