Quer ganhar um e-book GRÁTIS?


Assine a nossa lista, e receba grátis o e-book

"Como montar o seu Plano de Investimentos"!

 

Educação Financeira

Um carro pelo preço de um almoço

Finanças Comportamentais (behavioral finance) é um ramo das finanças que estuda o comportamento dos investidores diante de decisões de investimento. Há muitas ocasiões em que investidores comportam-se de maneira aparentemente “irracional”, pelo menos em relação àquilo que se esperaria que fizessem de acordo com as tradicionais teorias de finanças.

A mesma teoria se aplica ao comportamento dos consumidores. Vamos abordar hoje uma distorção que pode levar o comprador desavisado a uma decisão equivocada. Na falta de um nome melhor, vamos chamá-la de “distorção de perspectiva”.

Imagine você doido para comprar um carro zero. Só que custa muito caro: além de entregar o carro usado como entrada, ainda terá que desembolsar R$ 20.000. O vendedor, conhecedor da psicologia humana, e pronto a explorar seu ponto fraco mental, não se deixa vencer por um argumento assim tão sem-noção, como este de que você não tem dinheiro.

– Você pode dividir em 24 suaves prestações de R$ 1.000.

Melhorou, mas ainda assim lhe parece um pouco demais para o seu bolso. Diante de sua indecisão, o vendedor lança o argumento decisivo:

– Pense só: isso aí é o preço de um almoço por dia. Por um almoço por dia, você sai dirigindo um carro zerinho….

Você pensa: “Bem, não é assim tão caro…”. Juntando a sua vontade incontrolável de comprar o carro com a lábia do vendedor, você acabou de cair na armadilha da “distorção da perspectiva”.

Um almoço por dia não mata ninguém, não é mesmo? Mas não é esta a conta correta. Ou melhor, seria se você deixasse de almoçar todos os dias. Não é o caso, não é mesmo? Então, trata-se de uma despesa adicional. Mas esta não é a “distorção da perspectiva”. A verdadeira distorção consiste em comparar um carro com um almoço. Obviamente, se ambos custam a mesma coisa, o carro passa a parecer muito mais barato.

Não caia nessa. Compare coisas comparáveis. Faça as contas sempre na mesma base. Por exemplo, mensal. Você vai gastar R$ 1.000 por mês pelos próximos dois anos, e seu salário é de, digamos, R$ 10.000. Há espaço para esta despesa no seu orçamento? Esta é a pergunta correta. Esqueça os almoços e cafezinhos. Servem apenas para disfarçar os verdadeiros gastos que você vai ter com o seu novo brinquedo.

Crédito do thumbnail: Free Digital Photos by keko64.

Receba atualizações do site em seu e-mail!

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

2 Comentários

  1. Anônimo disse:

    São as "famosas" pergunta – para mim:
    1. eu preciso?
    2. eu posso?

  2. Roberto Pina Rizzo disse:

    Reformei meu Corolla para ficar com ele por mais um bom e longo tempo.

    Daqui 5 anos ou 10 anos, troco por um Camry zero, comprado a vista.

    Quando o Camry acabar, estarei com 60 anos.

    (Isto é o que eu chamo de planejamento financeiro automotivo de longo prazo)

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.