Quer ganhar um e-book GRÁTIS?


Assine a nossa lista, e receba grátis o e-book

"Como montar o seu Plano de Investimentos"!

 

Investimentos

Imóvel próprio: alugar ou comprar?

A casa própria é o sonho de grande parte dos brasileiros. Para alguns, no entanto, comprar um imóvel é uma imobilização desnecessária de dinheiro. Estes preferem gastar o seu dinheiro em outras coisas, e morar em um imóvel alugado. Quem está com a razão?

Como tudo em finanças, depende. Do ponto de vista estritamente financeiro, a conta é simples: verifique qual percentual representa o valor do aluguel em relação ao valor do imóvel, e compare com o rendimento de uma aplicação em renda fixa. O problema está em estimar a valorização do imóvel em si. O rendimento total da “aplicação” seria o valor do aluguel mais a valorização do imóvel, aí considerando todas as despesas de manutenção.

Como exemplo, temos os dados do site Global Property Guide. Segundo o portal, o aluguel representa um rendimento que varia de 6% a 8% ao ano em São Paulo, e 5% a 6% ao ano no Rio de Janeiro, dependendo do tipo de apartamento. Se assumirmos a premissa de que o imóvel se valoriza de acordo com a inflação, podemos comparar este rendimento com o de uma NTN-B, título do tesouro cuja rentabilidade está atrelada ao IPCA. As NTNs-B estão pagando entre 5,5% e 6,5% ao ano, dependendo do seu vencimento. Então, sob este ponto de vista, valeria a pena comprar um imóvel em São Paulo e morar de aluguel no Rio. Mas a premissa de que os imóveis se valorizam de acordo com a inflação é muito frágil. Pode ser muito mais, como foi nos últimos 3 anos, ou pode ser muito menos, dependendo de fatores como vizinhança, mudanças no plano diretor da cidade, recessões econômicas, etc. Assim, um investidor deveria exigir mais retorno do aluguel do que exige das NTNs-B, pois estes títulos têm muito menos risco. Considerando o risco do negócio, então, não valeria a pena comprar imóvel algum, apenas morar de aluguel. Claro, estas são afirmações baseadas em médias. Dependendo do expertise do investidor, é sempre possível encontrar bons negócios.

Um outro dado interessante é o que nos traz o índice ZAP-FIPE de preços de imóveis (aqui). Consultando o site, descobrimos que, em São Paulo, os preços dos imóveis subiram, em média, 82,5% nos últimos 3 anos, ao passo que os aluguéis subiram, no mesmo período, “apenas” 43,9%. Ou seja, ficou muito mais barato alugar imóvel em São Paulo de 3 anos para cá. Já no Rio, os preços dos imóveis subiram 106,4% nos últimos 3 anos, enquanto os aluguéis subiram 66,2%, em média. Agora, ficar mais barato alugar não significa que esteja barato, como vimos acima.

Mas a conta não é apenas financeira. Ter um imóvel próprio tem um forte apelo psicológico: significa um lugar para ficar se tudo o mais der errado. É uma segurança e tanto. Por outro lado, não ter imóvel conta também com uma forte vantagem: a mobilidade. Se você muda de emprego, pode mudar de imóvel muito mais facilmente, e morar perto do trabalho. O que, convenhamos, é muito bom em uma cidade com um trânsito terrível.

Enfim, ter ou não um imóvel próprio é uma decisão muito importante, tanto do ponto de vista financeiro quanto psicológico e de estilo de vida. Portanto, merece reflexão e planejamento cuidadoso.

Crédito do thumbnail: Free Digital Photos by Feelart.

Receba atualizações do site em seu e-mail!

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

1 Comentário

  1. Dr. Money disse:

    Everton, quando tenho uma opinião sobre algum assunto, exponho sem problemas, como você já pôde observar em outras postagens. Neste caso, expus os aspectos financeiros da escolha, mostrando que alugar, na média, é melhor. Mas a média não se aplica a todos, não é mesmo? Além disso, há aspectos não financeiros que devem ser considerados, razão pela qual não há uma única resposta certa. Meu objetivo, com este post, foi ajudar o leitor a raciocinar e tomar sua própria decisão.
    Abraço!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.