Quer ganhar um e-book GRÁTIS?


Assine a nossa lista, e receba grátis o e-book

"Como montar o seu Plano de Investimentos"!

 

Educação Financeira

Os sins e nãos da vida

Estou no aeroporto, aguardando o aviso de embarque, e aproveitando o tempo batucando no teclado do meu netbook. Estou sentado em frente a uma loja da Dufry Shopping. Vejo então uma mãe saindo com sua filha (uns 4 anos de idade, talvez) em prantos (a filha, claro). As duas caminham para o portão de embarque, e consigo ouvir o choro da menina ao longe.

Alguns minutos depois, ouço o choro novamente (pelo efeito Doppler, deduzo que o choro se aproxima). Vejo as duas se aproximando e entrando novamente na loja. Um pouco mais de tempo, a mãe (emburrada) sai com a criança (feliz), carregando um pacote de balas.

Penso cá com meus botões: que saída teria a mãe da criatura, a não ser cumprir a sua vontade? Ter a criança chorando durante o vôo inteiro, sendo alvejada pelos olhares reprovadores e entediados dos outros passageiros?

Pois é, é difícil julgar, mas há certos comportamentos que são fruto de um longo e perseverante processo de cultivo. A criança que não aceita um não normalmente foi treinada para ouvir sempre um sim, desde o berço, desde os primeiros meses de vida. Sim para dormir no quarto com os pais. Sim para a TV. Sim para ir para a cama fora de horário. Sim para as guloseimas fora de hora. Sim para deixar a verdura de lado no prato. Sim, sim, sim… quando o mundo é feito de nãos.

Pode parecer bobagem, mas o treinamento para a vida (a isso que chamamos “educação”) começa desde o berço. Pepino que nasce torto não endireita, diz o ditado popular. Já é difícil educar uma criança dizendo não, imagine dizendo sim. Obviamente, vivemos em um lar, não em um quartel. Faz parte do jogo de cintura dos pais saber a ocasião de dizer sim. Mas isso é muito diferente de se deixar chantagear.

Qual a saída para a mãe do aeroporto? Talvez ali, naquele momento, restasse somente voltar para a loja e comprar o doce. Mas, uma vez voltando para casa, talvez fosse útil repensar os sins e nãos que vêm dando à sua filha.

Receba atualizações do site em seu e-mail!

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

3 Comentários

  1. alberto disse:

    Criança dengosa.
    Dengo é uma grande desgraça. Vc. tem que ser exigente com a criança para que ela não faça aquele bicão descarado e logo em seguida com evidente atitude de chantagista inicie um chorinho. Um grito forte e decidido (dengo não! pára de dengo!), pode ser suficiente. Com o tempo a própria criança olha sabendo que não pode ser dengosa.

  2. Renato C disse:

    Yes, we can !

    Crianças mimadas são + felizes rsssssssss

    O problema é de fato quando isto se torna hábito e às vezes o choro pode ser uma manifestação de que a criança queria muito aquilo (ok, daí ela sempre vai querer "muito" algo rsrs ou não…)

    Mas, como contraponto, é sempre preciso ser flexível… uma criança comportada, que raramente chora, e às vezes fica assim por causa de uma bala…. é crueldade também não comprar !

    Mas estamos aqui para falar do preço da bala, vc viu o preço? rsss

    Até !

  3. Jônatas R. Silva disse:

    Reforçar comportamento negativo com prêmios, ou seja, ceder a chantagem, é ficar escravo eterno da hoje criança e amanhã adulto.

    Lembro da minha filha no shopping uma vez chorando, querendo nem lembro o que. Eu sentei no chão, literalmente falando, olhei para ela e falei: pode chorar a vontade, quando você cansar a gente volta para casa. Falei e cumpri. Ela tinha pouco mais de 2 anos. Foi a única vez que precisei fazer isto.

    Abraço, Dr.

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.