Quer ganhar um e-book GRÁTIS?


Assine a nossa lista, e receba grátis o e-book

"Como montar o seu Plano de Investimentos"!

 

Educação Financeira

Consórcio x financiamento: o que é melhor?

O consórcio para adquirir bens é uma modalidade de financiamento que atrai: sem juros e com muito mais facilidade de obtenção do crédito. No entanto, como dizia Milton Friedman, não existe almoço de graça! Quais são os riscos que você corre ao optar por um consórcio?

Muitos não gostam de consórcios porque não há garantia de que se vai usufruir do bem logo, como em um financiamento. Depende de sua sorte, ou do tamanho do lance, o que significa um desembolso de dinheiro que descaracterizaria a idéia de financiamento. Os que gostam, colocam a vantagem de despesas menores (a taxa de administração costuma ser menor do que os juros cobrados pelos bancos) e a disciplina financeira que um consórcio fomenta, ao “obrigar” a poupança durante um certo tempo, até que a sorte sorri e você finalmente possa colocar a mão no seu objeto de desejo.

Mas nada disso realmente é importante ao se analisar o conceito de consórcio.

O ponto fundamental, e que diferencia o consórcio de um financiamento normal, é o risco de crédito. No caso de um financiamento, o risco de crédito pertence à instituição financeira. É ela que corre o risco de você não pagar o empréstimo. Já no caso de um consórcio, o risco de crédito é do grupo. Ou seja, é seu. Você assume o risco de crédito de todos os outros participantes do seu grupo. Na prática, toda vez que você paga uma parcela do seu consórcio, você está emprestando o seu dinheiro para que outro participante do grupo compre um bem. Para que tudo corra bem, é preciso que todos os participantes continuem pagando as suas parcelas em dia, mesmo que já tenham obtido o seu bem.

fundo de reserva é constituído justamente para cobrir um certo nível de inadimplência. Digamos que o fundo de reserva seja de 5%. Isso significa que, se menos do que 5% das parcelas não forem pagas, você não precisa ficar preocupado. Agora, se a inadimplência surpreender, e for maior do que o fundo de reserva, você provavelmente será chamado a aportar mais recursos para fechar a conta. É a isso que chamamos risco de crédito. As pessoas, em geral, não gostam de pagar o fundo de reserva. Encaram-no como um custo extra. Mas quanto menor for o fundo de reserva, maior a chance de uma surpresa desagradável.

O consórcio muitas vezes é encarado como um financiamento. As empresas de consórcio são vistas como uma espécie de banco, sendo inclusive fiscalizadas pelo Banco Central. Mas não são. As empresas de consórcio são meras administradoras de grupos de pessoas, desconhecidas entre si, e que se concedem crédito mutuamente. Se o país entrar em uma recessão, e as pessoas começarem a perder os seus empregos, é possível que você tenha dor de cabeça com o seu consórcio. No caso do financiamento bancário, quem tem a dor de cabeça é o banco.

O consórcio não é nem melhor nem pior opção do que um financiamento bancário. É uma opção diferente, com vantagens e desvantagens. A escolha do consórcio como meio de financiamento pode ser interessante, desde que você entenda corretamente os riscos que está correndo.

Crédito do thumbnail: Free Digital Photos by renjith krishnam.

Receba atualizações do site em seu e-mail!

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

50 Comentários

  1. Luciana disse:

    Boa tarde,
    Em financiamento de veículos existe este fundo de reserva? Posso receber de volta no final ?

    • drmoney disse:

      Luciana, em financiamento não há fundo de reserva. Receio não ter entendido a questão sobre “receber de volta no final”. Se você estiver se referindo ao valor já pago no financiamento, a resposta é não. O carro já é seu, você pode vendê-lo.

  2. Marcelo Dias disse:

    Boa noite. Iniciei o pagamento de um consorcio de imóveis em 2007 , fiz 5 pagamentos mensais de cerca de R&3.000,00 cada , nao consegui tirar a carta através de lance e acabei comprando uma carta contemplada e parei de pagar esta. Na época o pessoal do consorcio me falou que só recuperaria meu dinheiro ao final do consorcio (120 meses) portanto este grupo de consorcio se encerra em 2017 . Qual seria a correção correta dos cercas de R$15.000,00 investidos à época?

  3. Vinícius disse:

    Dr Money, adiquiri uma casa no valor de 305 mil. Ficarei com uma dívida em torno de 250 mil.

    Qual das opções abaixo seria melhor, considerando a valorização do INCC e da taxa de juros atual.

    Financiamento tabela SAC com CET de 12% (financiamento decrecente)

    Carta de crédito 275 mil contemplada 189 parcelas de R$1.750,00 (corrigida pelo INCC)

    Obrigado

  4. Antônio Lima disse:

    Consórcio além da taxa administrativa que varia entre 16 a 25% do valor da carta, tem também o reajuste do bem ou seja se o valor inicial for R$ 31.000,00 e o final for R$ 50.000,00 devido a valorização do bem VC já perde mais uns R$ 14.000,00 somando a 20% da taxa vai pra uns 20.000,00. A depender do valor que se tenha em mãos para fazer um financiamento onde o valor é fixando no montante com juros podendo ser decrescido no momento que VC antecipa algumas parcelas, muito melhor financiamento. Nunca mais entro em consórcio propaganda enganosa.

  5. valter disse:

    bom dia, estou querendo adquirir um AP que custa 200mil, mas estou em dúvida, se eu der entrada de 150mil o que fica melhor… financiar os 50mil restante, ou fazer um consórcio de 200mil e der lance de 150mil para arrematar?
    abraços
    att
    Valter

  6. Felipe disse:

    Boa noite !

    Comprei um imóvel na planta por R$228 Mil, será entregue em 06/2016.
    O saldo a pagar ficará uns R$160 Mil … como ainda falta 1 ano e tenho um valor na mão de R$50 Mil, estou pensando em investir num consocio para tentar ser contemplado por lance, caso consiga, quitaria o imóvel e pagaria menos.

    O que acha !? Poderia me dar sua opinião.

    Obrigado.

    • drmoney disse:

      Parece bom, dado que normalmente as taxas do consórcio são menores que de um financiamento. Mas é preciso considerar o risco de que a inadimplência do grupo aumente nos próximos meses, dado o aumento do desemprego, o que faria aumentar o valor a ser pago no consórcio.

  7. marta disse:

    Dr Money , fiz um consócio de 200.000,00 em 99 meses para a compra de um caminhão, no primeiro mes dei o lance de 130.000,00 e ja saiu a carta de crédito, e o restante a ser pago ficou com redução nas parcelas, acontece que a divida ficou em 106.000,00, mas somando as parcelas que ainda tenho que pagar ficara 126.000,00 . ão consigo entender, pois já que pequei 200.000,00 e dei 130.000,00 eu entendo que devo ao banco 70;000.00, e como a divida fica quase o dobro. Será que esta certo mesmo, ou eu trenho que entrar na justiça?

    • drmoney disse:

      Marta, não consigo avaliar sem ter acesso ao contrato. Mas parece estranho mesmo. Talvez fosse melhor consultar um advogado.

    • MARCELO OLIVEIRA disse:

      VC ESTA PAGANDO AS TAXAS ADMINISTRATIVAS DO CONSORCIO

    • Paulo Morais disse:

      Marta você esta fazendo as contas erradas.
      Seu Saldo não é mais 200 mil
      200 Mil + Taxa de Administração + Fundo de Reserva + Seguro + Correção durante o Período.
      Como não sei como foi os detalhes do seu consórcio irei fazer um exemplo de consórcio de imóveis.
      Carta de R$200 Mil em 99 Meses. Taxa adm + Fundo + Seguro = 27% = R$254.000 Mil com Parcelas de R$ 2.565,66 no Consórcio de Imóveis a Correção é pelo INCC (INCC Médio 7,42 Ano)
      Valor original: R$200.000,00
      Valor atualizado carta de Crédito caso seja o último: R$450.529,93
      Valor atualizado, com juros: Divida R$527.716,43

      Fiz os Cálculos por alto só para lhe mostrar a mutação de valores!!

  8. Alexandre disse:

    Tenho interesse em fazer cartas de crédito de veículos como investimento. Objetivando não possuir o bem, e sim aguardar até o final do período e obter o montante corrigido. Isso é válido? Vale a pena? Meu interesse é em realmente fazer 5 cartas, uma a cada ano de forma que a partir do quinto ano em diante, sempre tenha um bom “dinheiro junto” para realizar a compra que queira. Que acham disso? Obrigado

    • drmoney disse:

      Alexandre, não entendo este tipo de investimento. A carta de crédito até pode ser transformada em dinheiro, mas é preciso esperar um grande tempo para receber, tempo este em que o dinheiro não renderá. Qual a rentabilidade final de um investimento deste tipo?

  9. Hudson disse:

    Achei o texto muito interessante mesmo. O que você acha daqueles consórcios de dinheiro realizados entre amigos? Estou pensando em montar um com essa ferramenta: http://www.consami.com.br, é interessante ou só vai me dar dor de cabeça?

    • drmoney disse:

      Hudson, tem um ditado que diz “amigos, amigos, negócios à parte”. Para que funcione, precisa haver muita confiança mútua, e vocês precisam estar dispostos a cobrir os aportes que eventualmente falhem. A chance de acabar a amizade não é desprezível. Se você está a fim de encarar este risco, siga em frente, pois é mais barato do que financiamento bancário.

  10. Paulo George disse:

    Olá Dr.Money!!
    Primeiro parabéns pela matéria, por segundo fui contemplado em um consorcio que não usei de imediato, após alguns meses verifiquei que o bem pretendido estava com valor acima do valor da carta contemplada, a administradora do consórcio me informou que o consórcio somente é corrigido pelos índices de mercado em quanto não é contemplado que após isso o dinheiro da carta passa a ser corrigido pelo índice da poupança. Eu lhe pergunto primeiro se isso é correto, e se não for tem alguma jurisprudência ou súmula sobre esse caso?
    Grato.

    • drmoney disse:

      Paulo, entendo sim que é correto. Enquanto você não é contemplado, o consórcio tem uma obrigação para com o consorciado de lhe entregar um determinado bem. Após ser contemplado, o consorciado já pode adquirir aquele bem. Se não o fizer, aquele dinheiro separado para a compra é aplicado no mercado financeiro, razão pela qual é corrigido pela remuneração de alguma aplicação financeira. No seu caso, a poupança. Tendo dito isso, o consórcio está ganhando dinheiro em cima do consorciado contemplado, pois ele aplica o dinheiro a uma taxa maior que a poupança no mercado financeiro, mas só paga a taxa da poupança para o contemplado. Assim, o ideal é gastar logo a carta de crédito.
      Isso do ponto de vista financeiro. Do ponto de vista legal, não sei informar se há jurisprudência em litígio deste tipo. Neste caso, recomendo consultar um advogado.

  11. Rafael Oliveira disse:

    Boa tarde,
    fiz recentemente um consorcio para aquisição de um imóvel, gostaria de saber qual o rendimento da minha carta de credito ?
    qual a alíquota ou referencial devo levar em conta para saber quanto vou resgatar durante o prazo de , Por exemplo 135 meses para uma valor de 100 mil, e outra mesmo que eu seja contemplado mas não use o credito ele vai ter rendimento ??
    grato pela atenção
    Rafael

  12. wellinton disse:

    Olá, Dr. Money
    Realizei um consórcio para uma carta de crédito de R$50000,00 em 100 meses.
    Sabemos que as parcelas mensais e o próprio crédito é ajustado pelo INCC. No primeiro ano minhas parcelas serão de R$598,01 considerando um reajuste anual de INCC de 7% sobre as parcelas, o montante total pago por mim será de R$73632,27. Se considerarmos que a inflação está em torno de 6,5%aa o rendimento real será de 0,469% ao ano. Esse rendimento real(0.469%) aplicado ao crédito de R$50000 em 100 parcelas resulta em R$51907,08.

    se minhas contas e conclusões estão corretas, eu pagarei R$73632,27, por um crédito real que valorizou de R$50000,00 à R$51907,08 em 100 meses.

    A conta que geralmente é feita pelos consórcios é que R$50000,00 valorizará em 100 parcelas considerando o mesmo INCC 7%, o que resulta R$85909.308. achamos portanto que estamos ganhando, porém esses valores não constam de inflação!!

    qual é a sua opinião?

    • drmoney disse:

      Wellinton, você está correto em considerar a inflação nas suas contas. Mas, cuidado! INCC não é o rendimento, é o custo da sua transação. Você tem um financiamento de R$ 50 mil, com 100 parcelas de R$ 598,01, tudo isso (a carta de crédito e as parcelas) reajustadas pelo INCC. A taxa de juros real (acima do INCC) que você está pagando é de 0,37% ao mês, ou cerca de 4,4% ao ano (cheguei a este valor usando a calculadora do meu outro site, Vigilantes do Orçamento: http://vigilantesorcamento.com.br/calculadora-financeira/). Digamos, apenas para raciocinar, que o INCC sejam zero nos próximos 100 meses. Ao final dos 100 meses, você terá pago a quantia de 598,01 x 100 = R$ 59.801 por uma carta de crédito de R$ 50.000. Esses R$ 9.801 a mais que você vai pagar é o montante acima da inflação, ou seja, para saber o montante total você precisa multiplicar pelo INCC do período. Esse é o custo real desse financiamento. Claro, se você tiver a sorte de ser sorteado no início, é um custo relativamente baixo. O problema é se você tiver que esperar até o fim. Neste caso, se você tivesse investido esse dinheiro em um investimento com essa mesma taxa real (0,37% ao mês), demoraria 73 meses para juntar os mesmos R$ 50 mil (parcelas e o montante final sempre corrigidos pelo INCC – também usei a mesma calculadora para chegar neste resultado).
      Outro ponto diferente é a discrepância entre o INCC e o IPCA. O IPCA não tem nada a ver com esses cálculos, mas tem a ver com a sua capacidade de poupança. Se, por algum motivo, os custos da construção explodirem, o INCC será bem maior do que o IPCA (que é,teoricamente, o índice que corrige o seu salário), e você poderá ter dificuldade crescente em quitar as parcelas.
      Espero ter esclarecido.

  13. Erika disse:

    Boa Noite! Fiz uma carta de credito no valor R$51.079,01 fiz a quitação dia 23/07/2014 porem além do valor da quitação a Administradora cobrou um valor de R$2.856,41 referente ao indice INCC esse valor esta correto? Nas minhas contas achei que pagaria o valor de R$535,04 afinal estou quitando a carta de crédito?

  14. Marcia Avila disse:

    Consorcio será sempre a melhor opção financeira, por ter somente a taxa administrativa, que pesquisando bem, você pode conseguir um valor dentro do que pode pagar. Diferente do financiamento, que tem juros elevados.

    Hoje já existe a opção de simulares online para carro e moto, eu recomendo o site MoneyGuru, que possui um simulador de valores para quem busca realizar um consórcio, além de trazer várias informações sobre como buscar pelo melhor negócio. Indico esse texto para entender melhor: http://www.moneyguru.com.br/meu-bolso/descubra-qual-e-o-consorcio-de-carro-mais-barato/

    Abraços!

    • Ary Jr. disse:

      Bom dia.
      Na verdade a melhor opção é comprar a vista, mas me diga, quem tem condições, pouquíssimas pessoas. Portanto o consórcio é a melhor opção. Só um exemplo, um UP 2 pt custa em torno de R$27.000,00 e a revenda faz por 60×730,00 sem entrada, preço total de R$43.800,00 quanto você pagou a mais pelo conforto R$ 16.800,00 e se você fizer um consórcio com uma carta de credito de R$27.936,00 em 60×578,00= R$ 34.680,00.(pagou a + R$6.744,00)
      Veja quanto você pode ecnomizar com um CONSÓRCIO. Financ.R$16.800,00 – ConsorcioR$6.744,00 = R$10.056,00 economizado.
      Consorcio é alem de EDUCAÇÃO, PLANEJAMENTO FINANCEIRO, é também SEGURANÇA FINANCEIRA, pois se o consorciado vier a falecer, a família dele recebe o credito sem ter que continuar a pagar as parcelas e sem precisar alienar ou comprar uma bem, se não for contemplado, e se for o saldo devedor vai ser simplismente zerado pela seguradora.
      Grande abraço a todos: http://realblog.com.br/ dicas de consórcios.

  15. Marco Antonio disse:

    Não podemos esquecer que no consórcio o valor da carta de crédito é atualizado todo ano. Se por acaso você for contemplado no início e utilizar a sua carta provavelmente você estará fazendo um péssimo negócio. Por exemplo: uma carta de crédito de R$ 100.000,00 num grupo de 144 meses onde você foi contemplado na 2ª assembléia, compra uma casa no valor de R$ 100.000,00. No ano seguinte a carta será reajustada e portanto você pagará por este valor atualizado, no ano seguinte a mesma coisa etc. Em poucos anos você estará pagando parcelas referentes a um crédito de R$ 130.000,00 onde você, como foi contemplado cedo, utilizou apenas os R$ 100.000,00. Concluindo: Além das taxas de administração, você também pagará esta diferença que se não passar dos juros de um financiamento ficará bem próximo. Att.

    • Elson Veit disse:

      Marco, eu acredito que se trate exatamente do contrário. O consórcio só é bom para quem é contemplado no início. Não se esqueça que comprando uma casa de R$ 100.000,00 no início do consórcio, você terá a valorização do imóvel, que tem sido sempre superior à variação do INCC (vamos ver nesses próximos 2 anos, talvez não seja mais o caso). Se você for contemplado no final, acabou pagando para poupar, pois terá o crédito corrigido, que igualaria a poupança do período provavelmente (ou seja, 0 x 0), mas pagou a taxa de administração para a Administradora do Consórcio. Ou seja, pagou 10, 15 ou 20% para alguém te devolver o teu próprio dinheiro no final. Abs.

  16. jose mauricio donizeti cremonezzi disse:

    entrei em um consorcio em um grupo de investidores. quais as vantagens q/ eu tenho?

  17. Paulo disse:

    Boa tarde!

    Dr. Money, não precisa se rebaixar a tamanha ignorância dos vendedores de consórcio. Vivemos em um país em que muitas das vezes as informações aos cidadãos é omitida. A sua postagem, nada mais veio a esclarecer a dúvida de consumidores que não querem ser surpreendidos por vendedores que muitas das vezes fraudam a real verdade sobre o consórcio.

    Financiamento ou Consórcio, a dica é procurar entender um pouco mais sobre tais produtos. A preguiça faz com que pessoas nem mesmo leem os contratos que assinam.

    Obrigado pelo post Dr., abraço!

  18. Michael Silva disse:

    o consórcio serve especificamente para pessoas que não tem a capacidade de poupar por própria conta e podem esperar a contemplação para adquirir o bem caso queria saber um pouco mais sobre consórcios pode visitar meu blog http://www.consorcios.blog.br

  19. Anonimous disse:

    Parabens pelo texto Dr. Money, retrata a realidade em relação ao Consorcio. .
    Vi comentarios de pessoas criticando sua postura, obviamente são vendedores ou usuários de consorcios, portanto, não devem ser levadas em consideração.
    Por exemplo, o cidadao disse: “tudo que tenho em minha vida é fruto de consorcio” Célebre frase, porém, qualquer um consegue comprar tudo na vida perdendo dinheiro tambem, é regra de economia, conquisto o sonho do carro zero e da casa propria e os bancos o sonho dos lucros exorbitantes, ambos se satisfazem mas um tera mais lucro, isto é imutável.
    Pra finalizar assino o que vc disse, NÃO É MELHOR NEM PIOR QUE FINANCIAMENTO, COM SUAS VANTAGENS E DESVANTAGENS.

  20. Miguel disse:

    ótima canal de informação este. Parabéns. Pena que seja tão utilizado por vendedores que vem nos sites onde as pessoas vem se informar, para aproveitar e fazer propaganda. Seria ótimo se analistas finaceiros e contadores que fizessem comentarios. Fiz uma simulação de um financiamento PRICE (sistema) e pré-fixado (correção ja presente na prestação na hora do contrato, prazo 200 meses, taxa 9% aa, e comparei a carta de consorcio 200 meses. Em um primeiro momento vc dira q o consorcio é muito melhor, pois se multiplicar a prestação do financiamento, e repito correção monetaria pre-fixada, pelos 200 meses, chegara a um valor muito superior a prestação do consorcio multiplicada pelos 200 meses. Porem, quando atualizar anualmente o valor da prestação do consorcio, pelo INCC ou INPC, o menor deles, com uma expectativa de 5% ao ano, e a inflação não tem dado menos que isso, e tomara nao ser um pouco mais que isso, vera que a vantagem financeira se reduz a um valor percentual do imovel que nao compensa a espera e nem o risco. Os vendedores de consorcio dirao que o seu montante estara corrigido pelo INCC, porém se esquecem que o seu imovel adquirido de imediato no financiamento tambem sera corrigido em seu valor de mercado. E se o seu financimento for pelo SAC e pós fixado, a vantagem do consorcio some e ficam só os riscos. Quem aposta numa economia estavel com inflação controlada vai no pós fixado pois a TR tem sido zero ou baixíssima. Quem tem medo da turbulencia e nao quer se arriscar no financiamento pós, por temer um aumento da inflação, mais medo ainda tem que ter do consorcio e seus reajustes pelo INCC/INPC, o que ocorrendo aumentara a inadimplencia acima do fundo de reserva e vc entao tera que dar mais dinheiro acima da prestação do consorcio. Entendo que o consorcio, de inicio, era para ser otimo, mas o problema foi a ganancia das taxas de administração que elevam os valores demais. A vantagem financeira do consorcio frente ao financiamento, vc acha que foi pra quem: para os consorciados ou para os empresarios do ramo de consorcio??? Adm CRA 13196-RS

  21. Rosana Lima disse:

    Pelo visto o Dr Money não é um admiridor do sistema consórcio,mas quero ressaltar que tudo que tenho é através do sistema consórcio,carros,casas,moto até mesmo eletro eletrônicos
    já adquiri através do sistema consórcio,além de que o sistema consórcio é totalmente seguro ,tem a garantia do Banco Central,
    temos a Abac que é uma Associação séria e que está sempre ao lado do consorciado para dirimir qualquer dúvida.
    Trabalho com consórcio já a mais de 27 anos e conheço todas as mudanças,já passei por todas as fases e sei que estamos na melhor.
    O brasileiro está mais consciente,sabe que os juros são altíssimos,que no sistema de consórcio não há juros,sómente a taxa de administração e que é muito melhor se programar´para uma retirada futura do que pagar duas ou até 3 vezes o valor do bem.
    Quanto ao risco de crédito,isso não existe,se a Administradora é uma Instituição Financeira fiscalizada pelo Bacen,são tomadas todas as precauções e medidas necessárias para que o consorciado obtenha no decorrer do plano o bem desejado ou até mesmo em espécie,conforme as regras do bacen.
    Rosana Lima

    • Dr. Money disse:

      Rosana, todos os bancos que quebraram ao longo da história eram fiscalizados pelo Banco Central.

      • andre abaurre disse:

        Dr. Money, sou consultor imobiliário, diretor da ADEMI ES (associação das empresas do mercado imobiliário do ES) e gostaria de esclarecer alguns pontos citados em seu artigo sobre a inadimplência e má gestão em grupos de consórcios. e as garantias que os consorciados tem a seu favor.

        A LEI Nº 11.795, DE 8 DE OUTUBRO DE 2008, que dispõe sobre o Sistema de Consórcio resguarda que:

        1- O grupo de consórcio é autônomo em relação aos demais e possui patrimônio próprio, que não se confunde com o de outro grupo, nem com o da própria administradora e Os recursos dos grupos geridos pela administradora de consórcio serão
        contabilizados separadamente.

        Comentário: Em caso de falência ou até mesmo má gestão da administradora o grupo é automaticamente desligado dela e pode deliberar sobre a escolha de outra administradora. Caso o desejo de desligamento seja maioria dos consorciados por desconfiança, e provas de má gestão os mesmos pode decidir em assembléia pelo imediato deligamento.

        2- Os bens e direitos adquiridos pela administradora em nome do grupo de consórcio, inclusive os decorrentes de garantia, bem como seus frutos e rendimentos, não se comunicam com o seu patrimônio, observado que:
        I – não integram o ativo da administradora;
        II – não respondem direta ou indiretamente por qualquer obrigação da administradora;
        III – não compõem o elenco de bens e direitos da administradora, para efeito de liquidação judicial ou extrajudicial;
        IV – não podem ser dados em garantia de débito da administradora.

        Sobre a inadimplência dos consorciados e suas garantias:

        – É permitido ao CONSORCIADO ter mais de uma cota em um mesmo grupo desde que limitado ao percentual máximo de 10% (dez por cento) em relação ao número máximo permitido de cotas de consorciados ativos do grupo, indicado no contrato, observada ainda eventual limitação de crédito a ser imposta pela ADMINISTRADORA, visando assegurar a saúde financeira do grupo de consórcio.

        Comentário: Esta medida reduz substancialmente o risco.

        Segue:

        – As melhores empresas administradoras contratam elas mesmas um seguro de crédito e seguro de garantias contratuais, nos termos das apólices contratadas pela ADMINISTRADORA, figurando esta exclusivamente como ESTIPULANTE, ficando o grupo de consórcio por ela REPRESENTADO como FAVORECIDO, objetivando salvaguardar os interesses coletivos dos CONSORCIADOS em face da sinistralidade peculiar detectada em grupos de bens de alto risco ou de planos com maior duração, salientando, ainda, que os prêmios são recolhidos e repassados integralmente à(s) seguradora(s) detentora(s) da(s) apólice(s), não se configurando quaisquer hipóteses de cumulação, vinculação ou associação de produtos e/ou serviços, asseveradas no Código de Defesa do Consumidor,
        mas, sim, uma salvaguarda coletiva dos integrantes do grupo de consórcio, em face das peculiaridades

        Comentário: a inadimplência e o risco do grupo também são cobertos por uma terceira empresa (seguradora).

        Cabe ao consorciado verificar com qual empresa está fazendo seu consórcio, pois os riscos são mínimos diante dos fatos acima descritos.

        Cordialmente

        André Abaurre

  22. Luís Fernando Henckmaier disse:

    A lei 11.795 de 2008 e a Circular 3432 de 2009 do Banco Central, são os meios legais de garantir um bom negócio, todos os contratos de consórcio feitos com administradoras sérias e dentro da lei estão garantidos pelo Banco Central.
    Quanto a recessão e inadimplência… é por este motivo que os grupos possuem muito mais consorciados do que o necessário para entregar ao menos uma contemplação mensal, para garantir que o grupo terá caixa disponível.
    E se ainda assim, houver uma grande recessão, o consorciado tem por direito, a restituição do valor pago ao fundo comum do grupo. Ou seja, o risco de colocar dinheiro em grupo de consórcio, é o mesmo de deixá-lo em sua conta corrente ou em qualquer aplicação financeira.

    • Dr. Money disse:

      Luís Fernando, o risco sempre existe. Deixar dinheiro na conta corrente ou em qualquer aplicação financeira envolve o risco do Banco quebrar. O risco pode ser maior ou menor, dependendendo da instituição ou da estrutura do investimento, mas sempre existe. No caso do consórcio, existe o risco do fundo comum do grupo não ser suficiente para pagar a todos que queiram desistir.

      Senhores vendedores de consórcio, quero deixar claro mais uma vez que não sou contra o consórcio em si, desde que o comprador tenha ciência de todos os riscos que está correndo, como em qualquer outro produto financeiro.

  23. Anonymous disse:

    Dr. money o Sr. precisa entender verdadeiramente de consórcio antes de dar a sua opinião, ao meu ver, super negativa sobre consórcio. Eu não somente indico que invistam seu dinheiro em consórcio de imóveis, como também o faço. Já fui contemplada 2x e posso garantir que foi a melhor escolha da minha vida em questão de investimento. Contemplei 2 créditos na Ademilar e tenho mais 3 cotas que irão se encarregar da minha aposentadoria, assim que contempladas….

    Fica a dica…

    • Dr. Money disse:

      Minha cara anônima, o único ponto negativo que apontei no post foi o risco de crédito a que estão expostos os cotistas. Se quiser contrapor ESTE ponto, ficarei mais do que satisfeito em publicar o seu comentário.

  24. ANDERSON disse:

    Gostaria de falar aqui sobre a correção INCC ( o tal segredo), vou desvendá-lo. Correção criada para auxiliar o consorciado a tentar comprar o mesmo Imóvel, muito provavelmente não irá conseguir, este mês estava em torno de 7.5% (correçao anual) e os imóveis atualmente em torno de 24% ano. Uma forma de tentar recuperar esta diferença é barganhar na hora da compra, pois o consórcio te dá este poder, o pagamento é à vista, diferentemente do financiamento onde o cliente não tem poder algum. Os consorciados não deve abrir mão disto, jamais.

  25. ANDERSON disse:

    Eu sou consultor de Consórcio, e todo dia tenho que quebrar estas barreiras, na realidade pouco se divuga sobre o consórcio, para todas estas objeções criadas por vocês eu os convidos para analisar, pelo menos ponderar meu ponto de vista.
    O consórcio sem dúvida nenhuma é a melhor forma de comprar um bem, sabe porque? vou citar só algumas vantagens, "algumas". 1° – Poucas pessoas conseguem guardar dinheiro, ok? e um rendimento seguro (poupança) terá rendimento mensal de no máximo 0,55 ao mês (dependendo da data), e tão somente sobre os valores depositados faça você quando tempo comprará qualquer imóvel, eu te digo vai demorar muito. No consórcio na pior das hipósetes, pior das hipoteses você será contemplado na metade do plano por sorteio, pois diferentemente do que muitas pessoas acham os grupos de consórcio tem cotas limitadas a 540 (pelo menos na administradora que trabalho), e os grupos contemplam cerca de 10 cotas mês, faça as contas divide pela quantidade de participantes. Quando contemplado tem poder de barganha pois compra a vista (só nesta operação vc recupera a tx cobrada pelas administradoras) que é de 1,2% ao ano. 2° – utiliza o crédito quando quizer até lá tem um rendimento sobre o crédito contratado (atualmente em torno de 0,9 ao mês sobre o crédito contratado e não sobre as parcelas pagas). Você teria este recurso em tão pouco tempo? podendo até pagar parcelas com o rendimento? Quer quitar o consórcio? fácil, tem desconto, quer transferir a cota contemplada para quem não se programa e quer na hora o crédito é só transferir. Se eu for colocar aqui todas as vantagens ficaria até amanhã. Portanto se informem, só este ano o consórcio tanto de Imóvel quanto de Automóvel creceu 40% em relação ao mesmo período do ano passado. Sugiro que entre no site da ABAC (Associação Brasileira de Administradoras de Consórcio).

    • Dr. Money disse:

      Anderson, em momento algum neguei as vantagens do consórcio. Inclusive cito algumas, e termino o post dizendo que o investidor deve ponderar as vantagens e desvantagens, sem tomar partido nem contra e nem a favor. Meu ponto foi somente chamar a atenção para o risco de crédito desta modalidade de financiamento, pois muitas pessoas não sabem que correm este risco. Desculpe-me se revelei algum segredo.

  26. Anonymous disse:

    Uma visão errônea que as pessoas tem sobre o consórcio de imóveis principalmente, é a de que se forem as últimas a serem contempladas, terão perdido dinheiro, isso não é verdade.
    A correção anual do INCC faz com que o último a ser contemplado tenha ao final do prazo do grupo, um crédito maior do que todos os valores de parcelas pagos e somados, por exemplo, que tenha um crédito de 200 mil e tenha pago em parcelas 150 mil.
    É por esse motivo que invisto em consórcio de imóveis, tenho a chance de ser contemplado antes e fazer uma grande alavancagem de dinheiro, e se for contemplado por último ainda ganho dinheiro.
    Neste blog o camarada explica bem certinho: http://www.sobreconsorcio.blogspot.com

    • Dr. Money disse:

      Prezado anônimo, a correção pelo INCC é inferior à de qualquer aplicação financeira, por mais conservadora que seja, se você considerar também a taxa de administração do consórcio. Se você for sorteado por último, terá perdido a diferença entre o INCC e a rentabilidade de uma aplicação. Portanto, teria sido melhor poupar do que comprar o consórcio.

    • Bongi disse:

      E possivel a lerbiacao do FGTS para o Consorcio para quem ja tem outro imovel, mas que nao tenha sido adquirido com recursos do FGTS.Antecipo agradecimentosArmindo

    • Luiz disse:

      Lembrando que, a cota do é corrigida pelo INCC, então se fizer um consorcio de R$200,00 e for o último contemplado, provavelmente receberá muito mais, porém as parcelas serão 3x o valor inicial… começa com 1000,00 e termina com 3000,00. Isso nenhum consultor de consorcio fala… Fica a dica… No financiamento, os valores são decrescentes…. e você compra o imóvel na hora… pode pagar um juros maios, mas estará ganhando na valorização do imóvel.. no consócio pagará cada vez mais as taxas de administração, mais a correção de 7% INCC anual e não tem garantia de quando irá comprar um imóvel…
      Gostaria de solicitar a um dos consultores de consorcio, uma prospecção de valores das parcelas de uma consorcio de R$300.000,00, 180 meses…. duvido que alguém fará….

  27. Rodrigo disse:

    Na verdade o consórcio é uma maneira de você pagar uma taxa de administração para alguém cuidar do seu dinheiro. Ora, se o objetivo do consórcio não é pegar um bem de imediato, então porque pagar taxa? É muito mais inteligente poupar e ter rendimentos do dinheiro.

    • Dr. Money disse:

      Faz algum sentido se você pensar que está comprando a chance de ser sorteado. É como comprar um bilhete de loteria. Se você simplesmente poupar o dinheiro, você não tem essa chance. Cabe a cada um julgar se o valor da taxa vale essa chance.

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.